A PEQUENA MUÇUÃ ESTÁ EM EXTINÇÃO

A PEQUENA MUÇUÃ ESTÁ EM EXTINÇÃO

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com o nome científico de Kinostemon Scorpioides, a Muçuã é uma pequena espécie de tartaruga de água doce da família dos quinosternídeos.
Características Principais:

Suas características principais são conhecidas por se tratar de um animal de pequeno porte (cerca de 25 cm) típico da região amazônica, presente também no Maranhão onde é conhecida como Jurará.
Seu casco é pardo escuro e oval, marcado por três linhas e com ventre amarelado.
A Muçuã tem as pernas altas e um bico que se assemelha bastante ao dos papagaios, e o rabo das fêmeas tende a ter um comprimento maior que o dos machos.
Pequeno

A Muçuã é um cágado conhecido como tartaruga de água doce, porém que divide seu tempo entre água e terra.
Suas patas lembram a dos patos com membranas entre os dedos, anatomia que lhes auxiliam a se mover dentro da água.
Os cágados são animais que preferem habitats mais pantanosos, calmos, com pouca correnteza e não costumam realizar migrações.
Dentro da água, a Muçuã costuma se alimentar de crustáceos, moluscos, peixes e algas, mas quando estão fora da água já preferem folhas, sementes e frutos caídos das árvores.

Segundo estudos, a espécie conhecida como Muçuã tem um comportamento agressivo e quando incomodada pode até mesmo atacar com suas mordidas doloridas devido à placa córnea afiada que possui (equivalentes a dentes).
Interessante analisar seu comportamento de hibernação: durante um período específico do ano, a Muçuã se enterra até a cabeça e hiberna.
O Perigo da Extinção

É encontrado em grande quantidade na ilha de Marajó (território brasileiro localizado na região do estado do Pará).
Infelizmente, por ser encontrada em grande quantidade, a tartaruga Muçuã torna-se alvo fácil da caça e da pesca no Pará, integrando um dos pratos mais famosos na capital Belém: a casquinha de Muçuã (um mexido de carne da tartaruga e servido na própria carcaça).
A falta de controle da caça e da pesca na região Norte do Brasil fizeram da Muçuã uma tartaruga em extinção.
Comida

O cozimento da carne de Muçuã trouxe para o Pará uma cultura que gerou a extinção e um grande risco para a espécie, isto porque não é apenas esse prato que impede a procriação da Muçuã, mas também a caça de ovos dessa tartaruga, que são utilizado como alimento agravando o problema.
Existem diversos projetos que se preocupam com a extinção de animais sejam eles terrestres ou aquáticos.
Entre essas ações, o projeto que mais se engaja com a causa da extinção das tartarugas é o projeto TAMAR que luta pela conscientização, conservação e salvação da vida marinha, em especial das tartarugas.
Projeto

Atualmente a caça e pesca de Muçuã foi proibida pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), porém até hoje há indícios de apreensão de tartarugas mortas em restaurantes no Norte do país.

Thiago Senne

Anúncios

Sobre Junior

Cristão, amante da Natureza, de bem com a vida, feliz por trabalhar com prazer
Esse post foi publicado em Histórias de Tartarugas, Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s