PITIÚ

PITIÚ

Este slideshow necessita de JavaScript.

Um tipo de cágado proveniente da família dos Podocnemididae também conhecido como iaçá, o pitiú habita as regiões do Brasil, Colômbia e Peru.
No Brasil eme específico é encontrada em regiões próximas ao Rio Solimões, Rio Branco e Rio Amazonas.

Os machos em média menores que as fêmeas distinguem-se também quanto ao tipo de coloração do casco, já que as pitiú fêmeas apresentam manchas amareladas pelo seu corpo, já os machos com coloração mais escuro e sem manchas.
Um tipo de barbelo presente embaixo das mandíbulas das fêmeas também as difere do sexo oposto.

Os rios de águas barrentas são o local preferido para a reprodução dos pitiús, que também se adaptam a águas claras, onde podem se movimentar com mais facilidade e buscar alimentos com mais agilidade.
A alimentação básica consiste essencialmente do tipo onívoro, ou seja com peixes e algas dos rios.
Características Biológicas

Os pitiús ou mesmo iaçás encontram-se dentro de certas normas e características biológicas que são muito importantes para o conhecimento desse tipo de espécies e posteriormente maior preservação.
Biólogos e ambientalistas lutam conta qualquer tipo de extinção, que ainda é muito grande tratando-se de cágados e tartarugas.

Assim características como gênero, espécie, ordem, entre outros auxiliam esse profissionais da fauna brasileira a identificar melhores resultados de proteção aos animais, que já são estudados a fundo desde os anos 80.

Incluídos na ordem dos pleudoriras , classe dos repteis, gênero podocnemis e filo dos cordados os pitiús ainda necessitam de maiores estudos com relação à espécie que habita poucas partes do ecossistema brasileiro.
Suas classificações ainda dependem de estudos mais avançados e que podem até mesmo colocá-los como espécie de grande importância à diversidade biológica mundial.
Caça Ilegal, Espécie

Apesar de muitas Ongs e instituições a favor a fauna e flora brasileira se esforçarem aos máximo nos últimos anos, a extinção do pitiús aumenta cada vez mais, principalmente com a caça ilegal dos animais para próprio alimento das comunidades próximas ao seu habitat.
De acordo com dados do IBAMA(1989) essa espécies já era estocada, até mesmo ovos, em grande parte na região amazônica, prato muito requintado da culinária local a base dos ovos de pitiús.

A manufatura de cosméticos e alimentos que utilizam de proteínas dos ovos e dos cascos do cágado também contribue com números elevados para a erradicação da espécie em território brasileiro.
Ainda é preciso investir em muitos projetos e leis rígidas que determinem punições severas aos caçadores que fazem da caça um meio ilegal de se ganhar dinheiro.

Toda a proteção dos pitiús está sendo discutida por membros e responsáveis da região amazônica,que todos os dias fornecem notícias de caças ilegais e roubo de ovos em habitat natural em grande quantidade, deixando assim parte do Brasil sem mais uma espécie tão rica e importante para a biodiversidade do país.

Patrícia Contiero

Anúncios

Sobre Junior

Cristão, amante da Natureza, de bem com a vida, feliz por trabalhar com prazer
Esse post foi publicado em Histórias de Tartarugas, Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s