Asteroid 2005 YU55 to Approach Earth on November 8, 2011 – O Asteróide 2005 YU55 se aproxima da Terra em 08 de novembro de 2011

Asteroid 2005 YU55 to Approach Earth on November 8, 2011

Don Yeomans, Lance Benner and Jon Giorgini
March 10, 2011

Trajectory of Asteroid 2005 YU55 - November 8-9, 2011
Trajectory of Asteroid 2005 YU55 – November 8-9, 2011
Click on image for animation

Near-Earth asteroid 2005 YU55 will pass within 0.85 lunar distances from the Earth on November 8, 2011. The upcoming close approach by this relatively large 400 meter-sized, C-type asteroid presents an excellent opportunity for synergistic ground-based observations including optical, near infrared and radar data. The attached animated illustration shows the Earth and moon flyby geometry for November 8th and 9th when the object will reach a visual brightness of 11th magnitude and should be easily visible to observers in the northern and southern hemispheres. The closest approach to Earth and the Moon will be respectively 0.00217 AU and 0.00160 AU on 2011 November 8 at 23:28 and November 9 at 07:13 UT.

Discovered December 28, 2005 by Robert McMillan of the Spacewatch Program near Tucson Arizona, the object has been previously observed by Mike Nolan, Ellen Howell and colleagues with the Arecibo radar on April 19-21, 2010 and shown to be a very dark, nearly spherical object 400 meters in diameter. Because of its approximate 20-hour rotation period, ideal radar observations should include tracks that are 8 hours or longer on multiple dates at Goldstone (November 3-11) and when the object enters Arecibo’s observing window on November 8th.

Using the Goldstone radar operating in a relatively new “chirp” mode, the November 2011 radar opportunity could result in a shape model reconstruction with a resolution of as fine as 4 meters. Several days of high resolution imaging (about 7.5 meters) are also planned at Arecibo. As well as aiding the interpretation of the radar observations, collaborative visual and near infrared observations could define the object’s rotation characteristics and provide constraints upon the nature of the object’s surface roughness and mineral composition.

Since the asteroid will approach the Earth from the sunward direction, it will be a daylight object until the time of closest approach. The best time for new ground-based optical and infrared observations will be late in the day on November 8, after 21:00 hours UT from the eastern Atlantic and western Africa zone. A few hours after its close Earth approach, it will become generally accessible for optical and near-IR observations but will provide a challenging target because of its rapid motion across the sky.

 

 

Trajectory of Asteroid 2005 YU55 - November 9,
 2011 - Edge-on View
Trajectory of Asteroid 2005 YU55 – November 9, 2011
Edge-on view to the ecliptic plane

 

Although classified as a potentially hazardous object, 2005 YU55 poses no threat of an Earth collision over at least the next 100 years. However, this will be the closest approach to date by an object this large that we know about in advance and an event of this type will not happen again until 2028 when asteroid (153814) 2001 WN5 will pass to within 0.6 lunar distances.

 

O Asteróide 2005 YU55 se aproxima da Terra em 08 de novembro de 2011
Don Yeomans, Lance Benner e Jon Giorgini
10 março de 2011

 


Trajetória do asteróide 2005 YU55 – 8-9 de novembro de 2011
Clique na imagem para animação

Perto da Terra
O Asteróide 2005 YU55 vai passar a cerca de 0,85 distâncias lunares da Terra em 08 de novembro de 2011 }em astronomia, a distância lunar é a medida da distância da Terra até a Lua. A distância comum da Terra para a Lua é 384 403 quilômetros).
Uma aproximação assim tão incomum, como a programada para este asteróide (ele é do tipo C, relativamente grande, com 400 metros de diâmetro), proporciona uma excelente oportunidade para sinérgicas observações terrestres, incluindo dados óticos, próximos do infravermelho e de radar. A ilustração animada em anexo mostra a geometria do movimento da Terra e da lua nos dias 08 a 09 de novembro, quando o objeto atingirá um brilho de magnitude visual 11 e deve ser facilmente visível para os observadores nos hemisférios norte e sul (quanto menor for o número, maior será o brilho. A estrela mais brilhante visível a olho nu tem magnitude visual -1,4 e a estrela visível mais fraca tem magnitude visual 6. Isto significa que podemos ver objetos celestes até a magnitude aparente 6 sem a ajuda de um telescópio, ou seja, a olho nu. Acima disso, só com ajuda de telescópios. A Lua, por exemplo, tem magnitude visual -12,6; o Sol, -26,8). A maior aproximação da Terra e da Lua será, respectivamente, 0,00217 e 0,00160 UA em 08 novembro 2011 às 23h28min e 09 de novembro às 07h13min UT.

Descoberto em 28 de dezembro de 2005 por Robert McMillan, do Programa Spacewatch, em Tucson, Arizona, o objeto foi observado por Mike Nolan, Ellen Howell e seus colegas através do Radiotelescópio do Observatório de Arecibo, entre 19 e 21 abril de 2010 e mostrou-se um objeto muito escuro, quase esférico, de 400 metros de diâmetro. Por causa de seu período de rotação aproximado de 20 horas, as observações ideais de radar devem incluir trajetórias de 8 horas ou mais em múltiplos dados no Radiotelescópio do Observatório de Goldstone (em 03 de novembro de 2011) e quando o objeto entrar janela de observação do Radiotelescópio de Arecibo, em 08 de novembro.

Usando a operação do radar Goldstone em um modo de “gorjeio” relativamente novo, propício para ser usado nesse evento de novembro de 2011, as observações devem resultar em uma forma de reconstrução do modelo do asteróide com uma resolução de uma precisão de 4 metros. Vários dias de imagens de alta resolução (cerca de 7,5 metros) também estão sendo planejados em Arecibo. Além de auxiliar a interpretação das observações dos radares, a colaboração visual e as observações no infravermelho próximo podem definir as características de rotação do objeto e fornecer detalhes sobre a natureza da rugosidade da sua superfície e da sua composição mineral.

Uma vez que o asteróide se aproxima da Terra vindo da direção do Sol, ele será um objeto luminoso até o momento da maior aproximação. O melhor momento para novas observações ópticas e infravermelhas será no final do dia 08 de novembro, após às 21:00 horas UT, na zona entre o Atlântico leste e a África ocidental. Poucas horas após a sua maior aproximação da Terra, o asteróide se tornará de um modo geral acessível para as observações ópticas e no espectro próximo ao infravermelho, mas será um objeto difícil de ser localizado, devido ao seu rápido movimento no céu.


Trajetória do asteróide 2005 YU55 – 09 de novembro de 2011
Visão lateral ao plano da eclíptica

Embora classificado como um objeto potencialmente perigoso, o 2005 YU55 não representa nenhuma ameaça de uma colisão com a Terra, pelo menos nos próximos 100 anos. No entanto, neste período, esta será a maior aproximação de um objeto deste tamanho que antecipadamente conhecemos, e um evento deste tipo não vai acontecer novamente até 2028, quando o asteróide (153.814) 2001 WN5 vai passar a cerca de 0,6 distâncias lunares.

tradução de Bené Lins
Anúncios

Sobre Junior

Cristão, amante da Natureza, de bem com a vida, feliz por trabalhar com prazer
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s