COMO AJUDAR UM AMIGO COM DEPRESSÃO? – HOW TO HELP A FRIEND WITH DEPRESSION?

COMO AJUDAR UM AMIGO COM DEPRESSÃO? – HOW TO HELP A FRIEND WITH DEPRESSION?

É difícil ver alguém que você gosta se afundar em tristeza, e não saber o que dizer ou fazer para ajudar.

Mais de 350 milhões de pessoas no mundo possuem depressão, segundo a Organização Mundial da Saúde. No Brasil, estima-se que pelo menos dez milhões de pessoas ou 18% da população sejam afetadas pela condição.

Quem sofre não é apenas o doente, mas todas as pessoas próximas a ele. Para ser capaz de ajudar alguém nessa situação, no entanto, é preciso compreender, tanto quanto possível, o que seu amigo está passando.

Do lado de fora, a depressão pode parecer tristeza normal, do tipo que aparece na vida de todas as pessoas. A doença, entretanto, é muito mais extrema: os sintomas duram mais tempo, as emoções são mais intensas, e a vida cotidiana é simplesmente mais difícil de se manter.

De acordo com o psicólogo clínico Dr. Jeffrey DeGroat, enquanto uma pessoa triste pode não estudar por alguns dias ou evitar sair com os amigos no fim de semana, uma depressiva pode não estudar por semanas a fio e evitar passar tempo com amigos e família por semanas. Você pode ser capaz de animar um amigo triste com piadas e incentivo, mas a depressão é um distúrbio médico que pode ser devastador.
Muitas vezes, as pessoas com depressão nem sabem por que têm esse sentimento esmagador de desespero, ou extrema apatia. Pode não fazer qualquer sentido. Tudo pode estar bem na vida do depressivo, mas ele ainda assim estar dominado pela tristeza.

Infelizmente, é comum que as pessoas tentem esconder sua condição. Ao mesmo, é difícil até para profissionais de saúde mental diagnosticar a doença. Existem várias formas do distúrbio, das mais tradicionais a desordens sazonais e depressão pós-parto. Os sinais de depressão também variam de acordo com a pessoa e podem incluir extrema tristeza, irritabilidade, dificuldade de concentração e sensação de apatia.

Se você acredita que seu amigo está sofrendo de depressão, a melhor coisa que você pode fazer por ele é ouvi-lo e apoiá-lo. Confira algumas dicas:

  • Seja honesto e expresse suas preocupações. Dr. DeGroat recomenda notar quaisquer alterações significativas no comportamento, humor ou personalidade de seu amigo, e, em seguida, tentar conversar com ele sobre o assunto. As pessoas podem apresentar sintomas de depressão de muitas maneiras diferentes, como tristeza, irritabilidade, isolamento social, comportamentos autodestrutivos, perda de interesse em atividades, alterações no apetite, no sono, e assim por diante. Ao invés de determinar se seu amigo ou ente querido está deprimido com base em um sintoma ou outro, observe se há alguma mudança significativa no seu comportamento. Se houver, pergunte a ele ou ela como as coisas estão indo. Seu amigo pode estar preparado para discutir seus sentimentos, e o convite para falar pode ser apenas o que ele estava esperando.
  • Não ofereça conselhos ou tente “consertar” a pessoa. Se o seu amigo quiser falar, reconheça e valide seus sentimentos. Por exemplo, você pode dizer “Nossa, que chato. Sinto muito que você está se sentindo dessa forma”, mas não oferecer conselhos ou chavões positivos, como “Você vai superar isso” e “Pense pelo lado positivo”. Ninguém quer morrer, mas já é difícil o suficiente querer morrer e alguém pensar que isso vai mudar com uma frase boba. Não é como se você pudesse falar “Anime-se” e a pessoa deprimida fosse responder “Sabe, você está totalmente certo. Estou animado agora!”. Entenda que você não pode resolver os problemas de seu amigo. Seu trabalho é se tornar um melhor ouvinte e apoiar a pessoa. Coisas específicas para se evitar de dizer, de acordo com a Ventre Medical Associates, incluem: “Não há nada de errado com você. Está tudo na sua cabeça”, “Sua vida é ótima, que motivos você tem para estar deprimido?” e “Será que você poderia se animar logo?”.
  • Certifique-se de que ele saiba que você está lá por ele. Se o seu amigo nega quaisquer problemas ou não quer falar, não o force a admitir que está deprimido. Em vez disso, entre em contato com ele com frequência (e-mails, telefonemas rápidos para dizer oi) e mostre apoio, oferecendo para fazer algo juntos. Mesmo que a pessoa não tiver interesse na atividade em si, a ligação social pode ajudar a reforçar o fato de que ela não precisa sofrer sozinha. Verifique se ela está comendo bem, dormindo bem, recebendo luz solar e fazendo exercício físico. Qualquer atividade mínima pode ajudar quando uma pessoa está sentindo para baixo.
  • Não leve a situação pro lado pessoal. Pare de se perguntar se você de alguma forma causou a depressão. Além disso, tentar ajudar alguém em sofrimento emocional pode ser desgastante e estressante, então lembre-se de cuidar de sua própria saúde emocional também.
  • Conte com a ajuda de outros. Você pode obter orientação de um profissional (um orientador da escola, alguém que você conhece que já passou por isso) para ajudar a encontrar a melhor estratégia para ajudar um ente querido. Você também pode conversar com amigos em comum.
  • Ajude a outra pessoa a entender sobre a depressão, se você puder. Se você já passou por isso, compartilhar esse fato poderia tirar qualquer medo que a pessoa tem de falar sobre o que está passando. Mas tenha em mente que não existe uma solução única para a depressão. O que lhe ajudou pode não ser apropriado para outra pessoa. Alguns precisam de medicação apenas para serem capazes de sair da cama de manhã, outros acham útil a psicoterapia, e assim por diante. Independentemente disso, seria ideal mostrar ao seu amigo que a depressão não é um sinal de fraqueza, algo de que ele deveria se envergonhar ou esconder. A depressão carrega um estigma terrível, e isso impede que muitas pessoas recebam a ajuda de que precisam. Mostre ao seu amigo que ele não está sozinho e que a condição é tratável.
  • Sugira aconselhamento ou outro tipo de ajuda profissional. Se os sintomas depressivos do seu amigo estão interferindo com sua vida (por exemplo, ele falta da escola ou do trabalho com frequência, evita contato social e assim por diante), recomende que ele visite um psicólogo ou um terapeuta. Você pode ajudar o seu amigo a encontrar um profissional, incentivá-lo e acompanhá-lo. Se ele se afastar ou estiver relutante em buscar ajuda, lembre-o de que às vezes precisamos de um check-up mental, assim como de outros exames médicos. Colabore com outros amigos e familiares se a situação ficar muito séria e seu amigo ainda resistir. Ninguém evitaria o médico se tivesse dor cardíaca grave ou quebrasse uma perna; a depressão não é uma doença menos importante. Por fim, se o seu amigo mostrar sinais de que poderia se machucar ou a qualquer outra pessoa, contate as autoridades para obter ajuda, porque você não pode controlar isso sozinho. A cada 30 segundos, alguém no mundo tira a sua própria vida. Você não pode distrair e dissuadir uma pessoa da depressão ou do suicídio mais do que você poderia dissuadir alguém de ter gripe ou um ataque cardíaco. Busque ajuda.

Fonte : hypescience

 

Dear Lifehacker,
My friend hasn’t been herself lately. She seems terribly sad and withdrawn, and I don’t know how to help her. What’s the best way to approach someone who might be depressed?
Signed,
A Concerned FriendP

Dear ACF,
Kudos to you for looking for a way to help your friend. It’s hard to see someone you care about sink into sadness, and to not know what to say or do to help. Depression is an illness that affects a great many people—not just the one out of every 10 adults in the US suffering from major or clinical depression, but the people close to them too. To help you find the best way to support your friend, I sought advice from mental health experts, and also deep-dived into my and others’ personal experience with this important issue. Here’s what you need to know.P

What Depression Is (And What It Isn’t)P

How Can I Help a Friend Who Seems Depressed?

The first step is to understand, as much as possible, what your friend is going through. From the outside, depression could look like regular sadness—the kind that touches all of our lives at times and brings us down before we eventually move on. Depression, however, is more extreme: symptoms last longer, emotions are more intense, and everyday life is simply harder to maintain. Clinical psychologist Dr. Jeffrey DeGroat offers this example:P

A person who is sad may not study for a few days, avoid going out with friends over the weekend, or skip a couple days of school/work. While a friend who is depressed might not study for weeks on end, avoid spending time with friends and family for weeks on end, and may fail classes or lose their job.P

Depression is not sadness. Sadness is common, normal, and, many would say,essential to us as human beings. You might be able to cheer up a sad friend with jokes, encouragement, or problem-solving. Depression, on the other hand, is a medical illness or disorder that can sometimes be devastating (every 30 seconds, somewhere in the world someone takes his or her life.Note: If your friend seems suicidal, go straight to the National Suicide Prevention Lifeline—or your area’s equivalent if you’re outside the US—for advice.) You can’t talk or distract a person out of depression any more than you can talk or distract someone out of having the flu or a heart attack. Often, people with depression don’t know why they have that overwhelming feeling of despair or, on the flipside, extreme apathy. Sometimes it doesn’t make any sense. Comedian Kevin Breel stated it so well in his TED talk😛

Real depression isn’t being sad when something in your life goes wrong. Real depression is being sad when everything in your life is going right.P

Looking back at my own experience, it can feel like you’re in a dark hole, like the air has been squeezed out of you, and, at its worst point, feeling completely numb. But people who are depressed are usually pretty good at pretending otherwise for fear of scaring people away. If you want to know more about what it’s really like, go read this incredibly brilliant and accurate explanation (in web comic form) by Hyperbole and a Half.34P

Unfortunately, depression is hard for even mental health professionals to pinpoint and treat, since there are several different forms of this illness, from debilitating major depression to more unique forms, such asSeasonal Affective Disorder (SAD) and postpartum depression. The signs of depression also vary by individual and can include extreme sadness, irritability, difficulty concentrating, and/or just a feeling of emptiness.P

The most important thing to know is depression is more serious than sadness, and so there are some things that are better to say and do than others.P

What You Can Do to HelpP

It’s hard, too, to be on the outside and not know why someone you care about is all of the sudden in the dumps and no longer enjoying things they used to or should love. As a friend, the best thing you can do is listen and be there for the person. Here are some tips: P

Be honest and express your concerns. Dr. DeGroat recommends noting any significant changes in behavior, mood, or personality, and then trying to talk to the person about it:P

People can exhibit symptoms of depression in many different ways: sadness, irritability, social withdrawal, self-destructive behaviors, loss of interest in activities, change in appetite, change in sleep, and so on. Therefore, rather than determining if your friend or loved one is depressed based on one symptom or another, I would recommend noting if there is any significant change in the person’s behaviors, mood, or personality.

If there is, I would recommend beginning by asking your friend how things are going. Your friend may be primed and ready to discuss their feelings, and your invitation to talk might be just what they were waiting for.

You might say something like, “I’ve noticed you’ve seemed really down lately. Is something bothering you?”P

Don’t offer advice or try to “fix” them. If your friend wants to talk, acknowledge/validate her feelings—”That sounds rough. I’m sorry you’re feeling that way”—without offering advice or positive platitudes (”You’ll get over it!” “Look on the bright side!” “Do yoga while watching the sunrise!”). As James Altucher writes😛

Nobody wants to die. But its hard to go from wanting to die to suddenly being cheered up. If you say, “I want to die” and everyone else says, “oh, cheer up, there’s so much to live for” that’s sometimes a hard thing to hear. It’s not like you’re going to suddenly say, “you know what? You are totally right. I’m cheered up now!”P

You cannot solve their problems. Your job is to become a better listener and just be there for the person. Specific things to avoid saying, according to Ventre Medical Associates include:P

  • “There’s nothing really wrong with you. It’s all in your head.”P
  • “Your life is great. What do you even have to be depressed about?”P
  • “Would you just snap out of it already?”P

Make sure they know you’re there for them. If your friend denies any problems or doesn’t want to talk, don’t force them to admit they’re depressed, Dr. Groat says. Instead, stay in contact frequently (emails, quick calls to say hello), much like you would if a loved one is grieving. Ventre Medical Associates says you can show support by offering to do something together: “Even if they don’t have interest in the activity itself, the social bonding may help reinforce the fact that they need not suffer alone.” Check on if she’s eating okay, sleeping well, getting sunlight, and exercise. Even doing just one small thing daily, like making the bed every morning, can help when you feel overwhelmed.P

Don’t take it personally. Hope Racine writes on the Huffington Post about a few lessons she learned while loving someone with depression, including stop wondering if you somehow caused the depression. Also, trying to help someone in emotional distress can be draining and stressful for you, so remember to take care of your own emotional health too.P

Enlist the help of others. You can get guidance from a professional (a school guidance counselor, the National Suicide Prevention Hotline, or others you know) to help find the best strategy to help a loved one. You could also talk with friends in common to do the same.P

Help the other person understand about depression, if you can. If you’ve been through depression yourself, sharing that fact could take away any fear the person has of sharing what they’re going through. Just keep in mind that there’s no one-size-fits-all “solution” to depression, so your experience and what might have helped you isn’t necessarily appropriate for the other person. Some people need medication just be able to get out of bed in the morning, others find psychotherapy helpful, others take it one episode at a time.P

Regardless, it would help to show your friend you understand that depression isn’t: a sign of weakness, something they should be embarrassed about, or something they should hide. Depression carries a terrible stigma, and that keeps people from getting the help they need. You can refer your friend to these resources to show that they’re not alone, those feelings won’t last forever, and the condition is treatable:P

Suggest counseling or other medical professional help. If your friend’s depressive symptoms are interfering with life (e.g., failing out of school, skipping work frequently, avoiding social contact, engaging in risky behaviors, and so on), Dr. DeGroat says he’d recommend talking to them about seeing a psychologist or therapist. You could help your friend find a center or a therapist (and if the therapist doesn’t work out, as sometimes happens, encourage her to keep at it until she finds someone who can help. It takes time.).P

What if they want you to back off or are reluctant to get help? Remind them that sometimes we need to get a mental check-up just like we get other medical exams. You might have to collaborate with other friends and family members if it gets very serious and your friend still resists. No one would avoid the doctor if they were having severe heart pain or broke their leg, depression is no less of an important health issue.P

Again, most importantly, if your friend begins to express any hints she might hurt herself or someone else, you should contact the authorities for help because you can’t do this on your own. This is the number again for the National Suicide Prevention Hotline: : 1–800–273-TALK (8255).P

Sincerely,
Lifehacker

Source: Lifehacker

Sobre Junior

Cristão, amante da Natureza, de bem com a vida, feliz por trabalhar com prazer
Esse post foi publicado em Cuide bem da Saúde e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s