TIGRE DA ÁGUA – Trachemys dorbignyi

TIGRE DA ÁGUA  – Trachemys dorbignyi

 
Este quelônio foi batizado de tigre d’água devido a coloração rajada de sua pele. Apresenta as cores verde, laranja, preta e amarela. 

 

Mede até 40 centímetros de casco. Apresenta dimorfismo sexual: os machos são menores (em média 25 centímetros e as fêmeas 35 centímetros) e com a cauda mais comprida e negra (a cauda das fêmeas são rajadas). Além disso, a cabeça dos machos é mais escura e a carapaça é mais manchada.

Habita lagos, riachos e pântanos do sul do Brasil (principalmente a área banhada pelo rio Guaíba, no Rio Grande do Sul), Argentina e Paraguai. Tem hábitos diurnos e gregários (vive em grupos). Alimenta-se de peixes, invertebrados e plantas aquáticas.

A fêmea bota até 18 ovos em um ninho escavado na areia. A incubação varia de dois a quatro meses. Os filhotes nascem medindo, em média, três centímetros de comprimento e pesam até 11 gramas. 

 

Assim como em outros répteis, o sexo dos filhotes é determinado pela temperatura do ninho. Temperaturas mais altas resultam no nascimento de fêmeas, enquanto temperaturas mais baixas, pelo nascimento de machos

Não é uma espécie ameaçada de extinção, mas sofre com a destruição de seu habitat e, principalmente, com o tráfico, já que é comumente vendida como pet. 

 

Muitas pessoas compram este animal ainda filhote e acreditam que ele permanecerá pequeno e colorido (muitas vezes o próprio vendedor passa essa falsa informação). Os compradores se surpreendem com o tamanho que o tigre d’água pode atingir e a mudança da coloração, já que o indivíduo juvenil é mais colorido e o verde da pele e casco é mais claro (ao se tornar adulto, as cores ficam mais escuras e menos chamativas). 

 

Como se não bastasse os problemas gerados pelo tráfico, esses compradores arrependidos costumam soltar este animal em lagos ou rios, causando um sério desequilíbrio ecológico. 

Fonte: Você realmente sabia?

Anúncios

Sobre Junior

Cristão, amante da Natureza, de bem com a vida, feliz por trabalhar com prazer
Esse post foi publicado em Histórias de Tartarugas. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s