PLANTAS MEDICINAIS – SABEDORIA POPULAR

PLANTAS MEDICINAIS – SABEDORIA POPULAR

  

ABACATEIRO
Persea Americana
Partes usadas: Folhas e frutos polpa e semente.
Família: Lauráceas.
Características: Árvore que mede entre 4 a 8 metros de altura. Suas folhas são grandes e seu fruto de cor verde em forma de pêra, contém uma semente esférica.
Princípios Ativos: óleo essencial com metilchavicol, minerais, proteínas, vitaminas A, B1, B2, C, D, E, material graxo e carboidratos.
Propriedades: É diurético, antianêmico, digestivo, colagogo e anti-helmíntico. É utilizado, também, para eliminar a caspa, detem a progressão da calvície, fortalecendo e suavizando o cabelo.
Indicações: Hepatite, Infecção renal, Infecções da Bexiga, Cefaléia, Diurético, combate o reumatismo, o colesterol, a diarréia, abcessos e o ácido úrico.
Toxicologia:
ABETO
  Abeto alba miller
Partes usadas: Os brotos e a resina.
Família: Pináceas.
Características: Atinge até 50 m de altura. Produz pinhas que ao amadurecer liberam pinhões e escamas. É também conhecido como pinheiro-do-canadá.
Princípios Ativos: óleo essencial (linoneno, alfa-pineno), glicocídeos e resinas (terebintina), dentre outros.
Propriedades: Revulsiva, balsâmicas, expectorantes, analgésica e anti-sépticas, especialmente das vias respiratórias.
Indicações: Inalação ou ingestão de doses excessivas de terenbintina pode produzir irritação do sistema nervoso, sobretudo em crianças.
Toxicologia:


ABÓBORA
Cucurbita pepo
Partes usadas: Fruto, polpa e sementes secas.
Família: cucurbitáceas
Características: Planta rasteira de folhas membranosas e flores amarelas com fruto de numerosas sementes.
Princípios Ativos: Cucurbitacina
Propriedades: Adstringente, laxante, diurética, alcalinizante.
Indicações: A decocção da polpa é indicada nos casos de diarréia e gases; o sumo da polpa para prisão de ventre. O cataplasma das folhas são indicadas em casos de queimaduras, inflamações e dores de ouvido. É um excelente vermífugo, principalmente para crianças. É tônico para o cérebro, fígado, rins e intestinos.
Toxicologia:


AÇAFRÃO
Crocus sativus L
Partes usadas: Estigmas da flor.
Família: Iridáceas
Características: Planta bulbosa de flores de cor lilás, de cujo estigma é extraído o açafrão propriamente dito. Também conhecido como açafrão-verdadeiro, açafrão-oriental, flor-da-aurora e flor-de-hércules.
Princípios Ativos: Princípios amargos (crocina e picrocina) e 1 óleo essencial.
Propriedades: É digestivo, aperitivo, carminativo, antiespasmódico e emenagogo.
Indicações: Combate a tosse causada pela bronquite crônica, ansiedade, insônia.
Toxicologia: Em doses altas é tóxico, abortivo e produz graves transtornos nervosos e renais.


ACELGA
   Beta vulgaris var. cicla
Partes usadas: Folhas.
Família: Chenopodiáceas
Características: Possui duas variedades: a branca e a verde-escura de folhas largas. Ambas apresentam proteinas, carboidratos e fibras. Quando cruas são ricas em vitaminas A e C, sendo aproveitadas em saladas, cozidos, sopas e charutinhos.
Princípios Ativos: Proteínas, cálcio, fósforo, ferro, sódio.
Propriedades: Laxante, emoliente, tônico estomacal, antireumática, estimulante das funções cerebrais.
Indicações: São usadas contra cálculos da vesícula e suas folhas como cataplasma em furúnculos e feridas. Quando misturada em partes iguais com o suco do agrião, combate os cálculos biliares (toma-se 1 copo em jejum).
Toxicologia:

AGRIÃO   Masturtium Officinale
Partes usadas: Folhas e talos.
Família: Crucíferas (Cruciferae).
Características: Herbácea aquática de caule oco, grandes folhas compostas e pequenas flores branco-amareladas. Também conhecido como agrião-d´agua e mastruço-dos-rios.
Princípios Ativos: Vitaminas C e E, iodo, ferro, potássio, fósforo, glicosídeos.
Propriedades: Estimulante, depurativo, tonificante, vermífugo, cicatrizante e balsâmico.
Indicações: Combate o escorbuto, cálculos renais, gota, artrite, reumatismo e gases intestinais. O chá das folhas é diurético e indicado como emplasto no pescoço, junto com a argila, para curar a glândula tireóide.
Toxicologia: Quando usado em excesso provoca irritação no estômago e vias urinárias.

AGONIADA Plumeria lancifolia
Partes usadas: Casca
Família: Apocynaceae
Características: Planta que atinge até 8 m de altura, de raízes compridas, folhas opostas e lanceoladas; suas flores são brancas e os frutos fusiformes. É também conhecida como arapuê, jasmim-manga, quina-mole, sucuúba e tapuoca.
Princípios Ativos: Glicosídeos (agoniadina) plumerina e ácido plumeritânico.
Propriedades: Febrífuga, balsâmica.
Indicações: Combate cólicas menstruais, febre, asma brônquica e ansiedade.
Toxicologia:

AIPO  Apium graviolens L.
Partes usadas: Folhas, raiz e frutos
Família: Umbelíferas.
Características: Planta bienal que atinge 30 a 90 cm de altura.
Princípios Ativos: Toda a planta contém um óleo essencial (atua sobre os rins), além de substâncias nitrogenadas e vitaminas B e C.
Propriedades: Diurético, depurativo, aperitivo e tonificante.
Indicações: Recomendável para os que sofrem de esgotamento ou depressão nervosa. Também conhecido como aipo-bravo, aipo-silvestre, aipo-dos-pântanos, aipo-dágua, aipo-odorante, aipo-inculto.
Toxicologia: Provoca contrações uterinas em mulheres grávidas.


ALECRIM
Rosmarinus Officinalis
Partes usadas: Folhas e flores.
Família: Labiadas (Lamiaceae).
Características: arbusto perene, de numerosas folhas estreitas, duras e sempre verdes. Possui um intenso perfume nas folhas e nas flores que são azul-claro. Propaga-se bem em solos secos, pobres e bem drenados. Adapta-se melhor ao clima subtropical.
Princípios Ativos: saponinas, flavonóides, nicotinamida, colina, pectina, taninos, rosmaricina, vitamina C, óleo essencial(pineno, canfeno, cineol, borneol, eucaliptol, acetato de isobornila, valerianato de isobornila, cânfora).
Propriedades: Diurético, antimicrobiano, cicatrizante, tônico, cardiotônico, anti-reumático, estimulante, colagogo, digestivo, antiespasmódico, anti-reumático.
Indicações: Combate as dores musculares. Ativa as funções do pâncreas e é anti-convulsivo.
Pode ser usado também como inseticida. Para esse fim, mistura-se uma xícara de óleo de alecrim em dois litros do chá de fumo. Bata no liquidificador e aplique, como se faz com um inseticida. Como tempero suas folhas utilizadas para temperar carnes e peixes.
Toxicologia: O uso prolongado pode provocar gastro enterites e nefrites. É contra-indicado para gestantes e para os que sofrem de distúrbios prostálticos e dermatológicos.

ALFAFA Medicago sativa
Partes usadas: Folhas e sementes.
Família: Leguminosas
Características: Herbácea que atinge até 80 cm de altura, com raizes, rizoma e caule compridos. De folhas ovais e dentadas, suas flores são amarelas ou violetas, pequenas e dispostas em cachos. Também conhecida como alfafa-de-flor-roxa, alfafa-verdadeira, melga-dos-prados.
Princípios Ativos: Rica em beta-caroteno, vitaminas C, D, E e K; cálcio, potássio e ferro.
Propriedades: Analgésico, diurético (frutos) e antiespasmódico.
Indicações: Eacute; uma das plantas mais usadas pela indústria para a obtenção da vitamina K e clorofila. É indicada nos casos de anemia e deficiência em vitamina K e cálcio. Nesses casos, usa-se o chá e o suco das folhas.
Toxicologia: Quando consumida fresca causa distúrbios tais como inchações e inflamações internas.


ALCACHOFRA
Cynara scolymus
Partes usadas: Folhas e raízes.
Família: Compostas (Asteraceae)
Características: Possui caule esbranquiçado, grandes folhas verdes, lanceoladas e carnosas. Podem atingir até 80 cm de comprimento e é conhecida também como alcachofra-hortense, alcachofra-comum e alcachofra-de-comer. Prefere solos sílico-argiloso-calcário, profundo, fértil e bem drenado. Multiplica-se por brotos.
Princípios Ativos: Flavonóides, taninos, potássio, sódio, cálcio, ferro, magnésio, ácidos (salicílico, fosfórico, caféoico), pectina, inulina, glicosídeos, esteróides e terpenos.
Propriedades: Diurético, remineralizante, tônico e regulador das funções hepáticas e biliares.
Indicações: O chá das folhas é tônico, preventivo e curativo das afecções do fígado. É diurética e combate o reumatismo, diabete, arteriosclerose, colesterol, hipertensão, tireóide, afecções de pulmões, doenças de pele e asma.
Toxicologia: É desaconselhável durante a gravidez e lactação.


ALFACE
Lactuca sativa
Partes usadas: Folhas.
Família: Cichorioideás.
Características: Planta herbácea de caule carnoso e esverdeado; folhas simples, flores amareladas, em capítulo.
Princípios Ativos: O suco do seu caule é rico em óleos essenciais, sais minerais, albumina e princípio amargo.
Propriedades: Laxante, eupéptica, mineralizante, desintoxicante, diurético, anti-ácido, anti-reumático e sonífero.
Indicações: É utilizada como calmante e como base para produtos de beleza (rejuvenescedores). É útil também contra a insônia, excitação nervosa, palpitações, reumatismo, hipocondria e conjuntivites.
Toxicologia: –


ALFAVACA
  Ocimum basilicum
Partes usadas: Folhas e sementes.
Família: Labiadas (Lamiaceae).
Características: Herbácea composta, de caule ereto, folhas de coloração verde-clara, opostas, flores brancas, rosas ou púrpuras dispostas em espiga. É também conhecida como alfavaca-cheirosa, alfavada-da-américa, basílico-grande, erva-real, manjericão-das-cozinhas, manjericão-de-folhas, manjericão-de-folhas largas, manjericão-de-molho e manjericão-grande.
Princípios Ativos: Rica em óleos essesnciais (estragol, linalol e alcânfora) e tanino.
Propriedades: Diurética, cicatrizante, digestiva, hipotensora, inseticida e anti-biótica.
Indicações: Uso aconselhado em casos de tosse. Combate contrações musculares bruscas e afecções das vias respiratórias. Como tempero agrada muito, principalmente a paladares europeus. A alfavaca de cheiro, de folhas mais largas e grossas, pode ser usada em leite de soja, cremes de coco e mel> Fornece um sabor semelhante ao da canela.
Toxicologia: –


ALFAZEMA
Lavandula Officinalis
Partes usadas: Flores e folhas
Família: Labiadas .
Características: Conhecida como Lavanda, é um arbusto de flores azul-violetas, com cheiro penetrante e aromático. Propaga-se por estacas.
Princípios Ativos: Taninos, cumarina, princípio amargo, saponinas e óleo volátil (linalol), com o perfume característico de alfazema.
Propriedades: Sedativa e equilibradora do sistema nervoso central.
Indicações: O chá das flores é muito usado no combate à dor de cabeça e nevralgias. É indicada ainda nos casos de insônia, bronquite crônica, asma brônquica, astenia, vertigens, cólicas, flatulência, dispepsia, inapetência e nervosismo. O chá de alfazema, alivia problemas digestivos e de mau hálito.
Toxicologia: Em doses elevadas pode causar sonolência, nervosismo e até convulsões.


ALGODOEIRO
Gossypium herbaceum L
Partes usadas: Folhas, flores, sementes e a casca da raiz.
Família: Malváceas
Característica: Herbácea de flores vistosas, de cor amarela ou branca . O fruto é uma cápsula ovóide que contém várias sementes coberta por uma fibra branca: o algodão.
Princípios Ativos: Ácidos graxos poliinsaturados e mucilagens.
Propriedades: Emoliente, emenagogo e antiinflamatório.
Indicações: Combate o catarro brônquico, disenteria, provoca e ajuda a menstruação e reduz o colesterol. Protege a pele e desinflama os brônquios.
Toxicologia:

ALHO Allium sativum
Partes usadas: Bulbo e caule
Família: Aloeaceas
Características: Herbácea com raiz constituída de pequenos dentes ou bulbinhos, de flores brancas, amarelas ou vermelhas. Aroma forte, folhas estreitas e raízes profundas.
Princípios Ativos: É rico em iodo, flúor, cálcio, ferro, fósforo e vitaminas A, B e C.
Propriedades: Antibacterianas e anti-fungica. Bacteriostática, bactericidas, tônico, carminativo, depurativo.
Indicações: (óleo ou infusão) para combater insônia, hipertensão, tuberculose, resfriados, feridas infecciosas, ácido úrico arteriosclerose. É antibiótico e antisséptico e contra-indicado para pessoas com pressão baixa.
Toxicologia: Consumido em demasia pode ocasionar mau hálito, dor de cabeça, dor de estômago, nos rins, provocar vômitos e até diarréia.


ALTÉIA
Altthaea Officinalis
Partes usadas: Folhas e raízes.
Família: Malváceas.
Características: Planta vivaz de folhas grandes e aveludadas e flores brancas com 5 pétalas. Prefere lugares úmidos e margens de riachos do centro-sul da Europa.
Principio ativo: Glicídios, pectina e princípios amargos.
Propriedades: Emoliente, calmante, antiinflamatória, laxante e expectorante.
Indicações: Suas folhas e raízes fornecem um chá de propriedades emolientes e calmantes, muito útil em casos de inflamação. Pode-se fazer emplastos com as folhas e raízes para debelar inflamações de pele.
Toxicologia: –


AMOR-PERFEITO
Viola tricolor
Partes usadas: A planta florida (sêca).
Família: Violáceas.
Características: Planta de flores solitárias, de pedúnculo longo e cor variada: amarelo, violeta, branco, etc. Também conhecida como violeta-de-três-cores, for-de-trindade.
Principio ativo: Mucilagens, tanino, ácido salicílico, saponinas e vitamina C.
Propriedades: Diurética, cicatrizante, antiinflamatória, depurativa, laxante, febrífugo, fluidificante do sangue.
Indicações: Usa-se como cosmético, contra o ressecamento, rugas e estrias. É empregada também em todos os casos de eczemas.
Toxicologia: –


ANGÉLICA
Angelica silvestris ou Officinalis
Partes usadas: Raiz, folhas tenras e sementes.
Família: Umbelíferas
Caracteristicas: Herbácea de raiz espessa, caule oco e cilíndrico. Alcança até 2 metros de altura. Suas folhas são verde-claras, brilhosas e suas flores brancas ou esverdeadas. É também conhecida como angélica-da-boêmia, angélica-do-jardim, polianto entre outros nomes..
Principio ativo: óleos essenciais, angelicina e ácidos orgânicos.
Propriedades: É uma planta que fortalece o estômago, é tônica, depurativa e, em casos de febre, provoca o suor.
Indicações: É útil nos casos de depressão, neurose e debilidade nervosa. Combate a falta de apetite e a enxaqueca.
Toxicologia: Possui um elevado teor alcoólico.

ANIS  Pimpinella anisum
Partes usadas: Frutos.
Família: Umbelíferas
Características: Planta aromática muito usada pela indústria alimentícia. É também conhecida como erva-doce.
Principio ativo: Óleos essenciais. Seus principais produtos são o anetol e outras substâncias curativas.
Propriedades: Diurética e expectorante.
Indicações: O chá adocicado de sabor agradável é usado para combater a cólica e os gases intestinais.
Toxicologia:

ANIS-ESTRELADO Ilicium verum
Partes usadas: Folhas e frutos.
Família: Magnoliáceas.
Caracteristicas: Possui aroma agradável e sabor muito apreciado. Além de servir de chás, também fornece o sabor a sopas, doces, geléias e outros pratos da culinária. É também conhecido como Funcho-da-China, Anis-do-Japão, Anis-da-Sibéria, Badiana-da-China.
Principio ativo: Anetol.
Propriedades: É eupéptico e carminativo (elimina os gases intestinais).
Indicações: digestões difíceis, fermentação intestinal e flatulência.
Toxicologia:


ARNICA
Arnica montana
Partes usadas: Folhas.
Família: Compostas (Asteraceae).
Caracteristicas: Herbácea de caule pouco ramificado, raízes negras e fibrosas, folhas ovais em forma de roseta, flores amareladas semelhantes às da margarida. Também conhecida como Arnica-das-montanhas, arnica-verdadeira e tabaco-das-montanhas.
Princípios Ativos: Lactonas, esteróides, arnicina, inulina, carotenos, ácidos graxos, resinas e taninos dentre outros.
Propriedades: Anti-séptica e cardiotônica.
Indicações: É muito eficiente para uso externo no caso de machucaduras e contusões. também para resolver problemas de espinhas, acnes e furúnculos antes de vazarem. Não é bom usar arnica em feridas abertas. É venenosa, por isso só é recomendada para uso externo.
Toxicologia: Em excesso pode ocasionar eritema e queimação. No uso interno, náuseas, vômitos, taquicardia e depressão.


AROEIRA
Schunus molleoides L
Partes usadas: Casca.
Família: Anacardiáceae.
Caracteristicas: Árvore de 4 a 12 m de altura, de caule tortuoso, casca fina, áspera, e de coloração acinzentada. Suas folhas são alternas, compostas. Suas flores são de coloração amarelo-esverdeadas, pequenas, com cerca de 2mm, cobertas de pêlos e com forte cheiro de manga. Fruto acinzentado-escuro quando maduro, com cerca de 0,5 cm de comprimento e com uma semente negra.
Princípios Ativos:
Propriedades: Estimulante e diurética. Depurativa e febrífuga (casca)
Indicações: é antiinflamatória, combate alergias, bronquite e reumatismo. Sua casca é usada contra feridas, tumores e inflamações em geral.
Toxicologia: É espécie altamente tóxica, podendo seu óleo produzir edema e eritrema em contato com a pele.


ARRUDA
Ruta graveolens
Partes usadas: Folhas
Família: Rutáceas (Rutaceae).
Caracteristicas: Arbustiva lenhosa de origem européia de caule ramificado com pequenas folhas verde-cinzentas compostas. Suas flores são verde-amarelada com frutos capsulares e sementes rugosas. Também conhecida como Arruda-comum, arruda-dos-jardins, arruda-fedorenta, ruta e ruta-de-cheiro-forte. Cultivar em solos bem drenados e a sol pleno. Propaga-se por estacas e sementes.
Principio ativo: Rica em óleos esssenciais, flavonóides(rutina), cumarinas e alcalóides.
Propriedades: Analgésica, béquica, emoliente e anti-helmíntica.
Indicações: É empregada como emplasto no peito para combater a tosse. É muito usada para combater piolhos e coceiras.
Toxicologia: É contra-indicada para gestantes. Seu uso interno é desaconselhado.


ARTEMÍSIA 
Artemísia vulgaris L
Partes usadas: Folhas e flores.
Familia: Compostas (Asteraceae)
Caracteristicas: Também conhecida como Camomila-do-campo, artemija, artemísia-verdadeira, erva-de-são-joão e Matricária. Herbácia cuja altura varia entre 60 e 120cm, de folhas verde-claras, penadas e de flores amarelados que brotam do caule, de cor avermelhada.
Principio ativo: óleos essenciais (0,01%) rico em terpenos, artemisinina, artemisina, taninos e resinas.
Propriedades: Emenagoga, aperitiva, colagoga, vermífuga, analgésica, anti-espasmódica e anti-convulsivante.
Indicações: É muito conhecida e usada nos problemas menstruais, em casos de dispepsia, astenia, epilepsia, .
Toxicologia: Não recomendável a lactantes e gestantes. Não ultrapassar as doses indicadas.

ASSA-PEIXE Cacalia Optica
Partes usadas: Raízes e folhas.
Família: Compostas (Urticaceae).
Características: Arbustiva que pode atingir 5m de altura, Nativa do Brasil com folhas opostas, oval-lanceoladas e de pequenas flores brancas ou avermelhadas.
Principio ativo: alcalóides, flavonóides (velutina), glicosídios, óleo essencial e sais minerais.
Propriedades: Diurética.
Indicações: Suas folhas e flores são  usadas para combater a tosse e a rouquidão. Seu uso externo combate hemorróidas.
Toxicologia:

AVEIA Avena sativa
Partes usadas: Sementes.
Família: Gramíneas.
Características: Herbácea anual que pode atingir 1m de altura, de caule ereto e cheio de nós; suas folhas são ásperas e as flores em pequenas espigas.
Principio ativo: Avenina, avenaína, prolamina, amido, gorduras e sais minerais.
Propriedades: Diurética.
Indicações: Combate a astenia e hemorróidas.
Toxicologia:


BARDANA
Arctium LLappa
Partes usadas: Folhas, flôres, sementes e raízes
Família: Asteraceae.
Caracteristicas: Tambem conhecida como Bardana-maior, Carrapicho-de-Carneiro, Carra´picho-Grande, Erva-dos-Tinhosos, Orelha-Gigante,  Labaca, Pega-Masso, Pegamasso, Pejamaco.
Principio ativo: óleo essencial, glicosídeos, pectina, cálcio, ferro, magnésio, sódio, ácidos graxos, taninos, resinas e mucilagens.
Propriedades: Antibiótica, hipoglicemiante, depurativa e alcalinizante, diurética, sudorifera, anti-dispeptica e tônico capilar.
Indicações: Combate o reumatismo, afecções cutâneas, dermatose, furúnculo, bronquite, cálculos da bexiga e biliar, prisão de ventre, queda de cabelo, hidropisia.
Toxicologia: As folhas podem causar intoxicação devido à presença da onopordopicrina, capaz de provocar insuficiência respiratória.


BABOSA
Aloe socotrina
Partes Usadas: Folhas, polpa e seiva
Família: Liliáceas.
Características: Arbusto perene de folhas verdes, lisas dentadas e carnosas, que possuem flores amarelo-esverdeadas, reunidas em cachos. Também conhecida como aloés.
Principio ativo: Possui uma razoável quantidade de ácido salicílico como princípio ativo, antraquinonas, vitamina C, tocoferol, mucilagens e tanino.
Propriedades: Vulnerária, anti-helmíntica, resolutiva, cicatrizante, emoliente.
Indicações:Para uso interno, não é recomendável o seu uso, apesar de possuir propriedades tônicas do aparelho digestivo. Para uso externo, o suco das folhas é emoliente e resolutivo, quando usadas topicamente sobre inflamações, queimaduras, eczemas, erisipelas, queda de cabelo, etc. A polpa é antioftálmica, vulnerária e vermífuga(uso interno).
Toxicologia: O uso excessivo pode ocasionar distúrbios gastro-intestinais.


Beladona
Atropa belladona
Partes usadas: folhas e raiz.
Família: Solanaceas
Características: Planta vivaz, de caule ramificado de folhas alternas, ovais e moles. Suas flores são campanuladas que se transformam em bagas negras.
Princípios Ativos: Contêm 1% de alcalóides derivados do tropano (hiosciamina, atropina), ácido atrópico, beladonina e escopolamina.
Propriedades: antiasmático, relaxante muscular.
Indicações: Relaxa os músculos lisos , reduz as dores das cólicas urinárias e da vesícula biliar, aliviam as crises de asma (antiasmático). São igualmente usados para reduzir os suores noturnos dos tuberculosos. O efeito da atropina (dilatação da pupila ocular) é utilizado nos exames oftalmológicos.
Toxicologia: É planta extremamente tóxica


BELDROEGA
Portulaca oleracea
Partes Usadas:Folhas, polpa e seiva
Família: Portulacáceas.
Características: Planta anual rasteira de caules grossos e suculentos. Suas folhas são pequenas, ovaladas e carnosas. Também conhecida como beldroega-verdadeira, portulaca, caaponta, salada-de-negro, porcelana, bredo-de-porco, verdolaga.
Princípio ativo: Mucilagens.
Propriedades: Diurética, emoliente, emenagoga, laxante e antiinflamatória.
Indicações: O suco das folhas é emoliente e resolutivo, quando usadas topicamente sobre inflamações, queimaduras, eczemas, erisipelas, queda de cabelo, etc. A polpa é antioftálmica, vulnerária e vermífuga (uso interno).
Toxicologia: –


BERINJELA
Solanum melongena
Partes Usadas: Frutos
Família: Solanáceas
Características: Possui frutos de cor escura e arroxeada.
Princípio ativo:
Propriedades: Oxidante, remineralizante, alcalinizante, calmante, resolutiva, diurética, emoliente(folhas),digestiva.
Indicações: Reduz a ação de gorduras no fígado e diminuir o colesterol.Diminui o colesterol, combate a inflamação dos rins e uretra, as enfermidades do fígado e estômago. Suas folhas servem para o preparo de cataplasmas para queimaduras, abcessos e herpes. O suco do fruto é bom diurético.
Toxicologia:


BETERRABA
Beta vulgaris
Partes Usadas: Raiz e folhas
Família: Chenopodiáceas
Características Herbácea de raiz tuberosa e inflorescência terminais de flores esverdeadas. Originária da Europa.
Princípio ativo: Betaina, asparagina, vanilina, rafanol, sais minerais e vitaminas.
Propriedades: anti-anêmico, tônico cardíaco, diurético e anti-reumático.
Indicações: Combate inflamações, estresse, a anemia, facilita a digestão, regula os intestinos e controla a cor do sangue. O chá das folhas é ótimo para anemia. O tubérculo é alimentício.
Toxicologia: –

BOLDO Colerus barbatus
Partes Usadas: Folhas
Família: Moniaceae
Características: Também conhecido como boldo do Brasil, malva-santa, boldo nacional. O Boldo-nacional é muito cultivado em hortas e jardins. Reproduz-se por estacas. Durante a floração, as folhas perdem parte de seu poder terapêutico.
Princípios ativos: Óleos essenciais, flavonóides e saponinas.
Propriedades: Tônica, eupéptica, hepática, colagoga, colerética, calmante, carminativa, anti-reumática, estomáquica.
Indicações: Usado popularmente contra a ressaca alcoólica, infecções hepáticas, dispepsias, infecções gástricas, inapetência, cálculos biliares, debilidade orgânica. Uso interno: chá por decocção, dosagem normal, atuando como verdadeiro específico para infecções hepáticas e vesiculares, e influenciando assim beneficamente a digestão. Insônia. Uso externo: chá por decocção, sob a forma de banhos, agindo como tranqüilizante e proporcionando um sono reparador.
Toxicologia: Desaconselha-se o uso prolongado.


CALÊNDULA
Calêndula officinalis
Partes Usadas: Flores
Família: Compostas
Características: Herbácea de clima temperado com folhas simples, flores amarelo-alaranjadas, também conhecida como malmequer, malmequer-do-mato, maravilha e verrucária.
Princípios ativos: óleo essencial rico em carotenóides (caroteno, calendulina, licopina), saponinas, flavonóides, cumarinas, resinas e mucilagens. e princípios amargos.
Propriedades: Antiespasmódico e cicatrizante, possui efeitos antiinflamatórios. É antisséptica, analgésica, emenagoga, colagoga, antiulcerosa, antiinflamatória, antisséptica, cicatrizante, calicida, emoliente, antiviral, antiemético, vasodilatador e tônico da pele.
Indicações: O chá pode ser usado para qualquer tipo de inflamação do organismo (reumatismo, sinutite, faringite, etc). É cicatrizante, o que torna útil em casos de úlceras do estômago.
Toxicologia:


CAMOMILA
  Matricaria chamomilla
Partes usadas: Flores.
Família: Compostas
Características: Herbácea que atinge até 60cm de altura, apresentando folhas divididas e penadas, com flores parecidos com pequenas margaridas brancas. Também conhecida como camomila-da-alemanha, camomila-vulgar, camomilha, maçanilha e matricária.
Princípios ativos: Glicosídeos, cumarinas, colina, azuleno, furfurol, terpenos, ácidos graxos, matricarina, umbeliferona, querameritrina.
Propriedades: Reguladora das funções gastro-intestinais e sedativo. Antiespasmódica, anti-helmíntica, anti-séptica, antimicrobiana, analgésica.
Indicações: , é muito usada em chás para cólicas de bebês . Atua ainda acalmando irritações e inflamações dos olhos e da boca. Seu chá possui propriedades digestivas e calmantes das cólicas digestivas e calmante das cólicas intestinais.
Toxicologia:

CANELA Cinnamomum Zeylanicum Blume
Partes Usadas: casca
Família: Lauráceas
Características: Árvore de até 10 metros de altura de cujos ramos jovens se obtém uma casca de cor escura. Suas folhas são grandes e ovaladas. Suas flores brancas ou amarelas.
Princípios ativos: Óleo essencial, taninos, terpenos e mucilagem, dentre outros.
Propriedades: Digestivas, tônico estomacal e aperitiva.
Indicações:Inapetência, digestão difícil, flatulência.
Toxicologia: Contra-indicada para os que sofrem de úlcera péptica gastroduodenal.


CANFOREIRA
 Cinnamomum camphora(L.) Steb

Partes Usadas: Essência de sua madeira (cânfora)
Família: Laureáceas
Características: Árvore que pode atingir até 50 m de altura de folhas perenes e flores pequenas e brancas. É originária da costa oriental da Ásia.
Princípios ativos: Óleo essencial extraído da madeira (cetona do hidrocarboneto borneol).
Propriedades: Anti-séptica, febrífuga, anafrodisíaca, anti-reumática, analgésica.
Indicações: Muito útil em gripes e resfriados. Usa-se o óleo ou álcool de cânfora para aliviar dores reumáticas e nevralgias. É usado também para diminuir a excitação sexual.
Toxicologia:


CAPUCHINHA
  Tropaeolum majus L
Partes Usadas: Flores e folhas.
Família: Tropaeoláceas
Características: Possui grandes folhas e bonitas flores (vermelhas ou amarelas) permite que sejam também usadas como planta ornamental e também utilizada na culinária(folhas e flores) em saladas. Também conhecida como Capuchinha-de-flores-grandes e Flor-de-sangue.
Princípios ativos: Glicosídeos e 1 óleo essencial.
Propriedades:É excelente fonte de caroteno, ferro, cálcio, enxofre e vitamina C.
Indicações: É indicada no tratamento do Escorbuto e escrofulose. Combate as infecções das vias respiratórias e urinárias. É afrodisíaca, reguladora menstrual, tonificante e revigorante.
Toxicologia:


CARDO-SANTO
Cnicus benedictus
Partes Usadas: Toda a planta.
Família: Dipsacáceas
Características: Herbácea anual, rasteira de caule anguloso com folhas esbranquiçadas, compridas, espinhosas e dentadas. Suas flores são branco-amareladas protegidas por brácteas. Também conhecido como cardo-cardador e cardo-bento.
Princípios ativos: Lactonas, tanino, mucilagens e óleo essencial.
Propriedades: É tônico estomacal, digestivo e aperitivo.
Muito conhecido pelas suas propriedades antissépticas; muito usado para uso externo, para lavar feridas e inflamações da pele.
Indicações: Favorece as funções do fígado e do pâncreas.
Toxicologia: Doses altas podem provocar queimaduras na boca e esôfago e diarréias violentas.


CARDO-CORREDOR
Eryngium campestre L
Partes Usadas: Raiz (colhe-se na primavera ou outono) e brotos e folhas (no verão)
Famílias: Umbelíferas
Características: Também conhecido como lingua-de-tucano e eringio.
Princípios ativos: Saponinas, tanino, açúcares e um óleo essencial.
Propriedades: Diurético
Indicações: É util em casos de edemas, e excesso de ácido úrico no organismo.
Toxicologia: É desaconsélhável seu uso por mais de 3 dias consecutivos.

CARDO-PENTEADOR Dipsacus sativus Scholler
Partes Usadas: Raiz
Famílias: Umbelíferas
Características: Também conhecido como lingua-de-tucano e eringio.
Princípios ativos: Saponinas, tanino, açúcares e um óleo essencial.
Propriedades: É diurético, sudorífico, excelente depurativo do sangue.
Indicações: Favorece a eliminação do Ácido Úrico e outras substancias residuais que circulam pelo sangue. É usado também para tratamento da Acne, eczemas e erupções da pele.
Toxicologia:


CASTANHEIRO
Castanea sativa Miller,
Partes Usadas: casca, folhas e sementes (castanhas)
Família: Fagáceas
Características: Arvore robusta de tronco grosso, que pode atingir até 20m de altura. As castanhas (seus frutos) alojam-se em grupos de 2 ou 3, dentro de uma carapaça espinhosa.
Princípios ativos: A casca, e em menor proporção as folhas são ricas em tanino, além de conterem açúcares, pectina, óleo essencial e outros princípios ativos.
Propriedades: É adstringente, antidiarréica e antitussígena.
Indicações: É muito útil na dieta dos hipertensos e dos cardíacos.
Toxicologia:


CÁSCARA-SAGRADA
Rhamnus purshiana
Partes Usadas: Casca seca do tronco e dos ramos
Família:Rhamnaceae
Características: Possui um corante amarelo. Arbustos de folhas largas e denteadas com flores brancas e caule cinza-claro.
Princípios ativos: ácidos graxos, glicosídeos, antraquinonas, glicosídeo (shesterina) e o ramnicosideo.
Propriedades: Purgante, colagogo e eupéptico.
Indicações: É muito útil em casos de prisão de ventre crônica. Facilita o funcionamento da vesícula e a digestão.
Toxicologia: Usar com prudência na gravidez, lactação, menstruação e crise hemorroidal. Não deve ser usada fresca, é necessário que fique secando após a colheita durante 1 ano.

CARQUEJA  Baccharis trimera, Baccharis articulata
Partes Usadas: Toda a planta
Família: Compostas (Asteraceae)
Características: é um arbusto de pequeno porte, também conhecida como carque. Possui caule lenhoso, alado com folhas bastante reduzidas e ovais. A Baccharis trimera é mais encontrada em campos e beiras de estradas e a articulata é mais comum em terrenos úmidos e banhado.
Princípios ativos: Flavonóides, lactonas, polifenóis, taninos, esteróides, saponinas, terpenos, resinas e pectinas.
Propriedades: É diurética, depurativa e muito rica em ferro e estimulante para a digestão.
Indicações: É útil em casos de anemia, enfermidades do fígado, icterícia e má digestão. É constante nas fórmulas de plantas naturais usadas para regimes de emagrecimento e um chá muito indicado para períodos de desintoxicação.
Toxicologia:


CARVALHO
 Quercus robur
Partes Usadas: Casca e os frutos.
Família: Fagáceas
Características: Originária da Europa, é uma árvore frondosa que atinge aproximadamente 20 a 30 metros de altura. Seu tronco forte é coberto por uma casca rugosa e espessa, com flores amareladas e frutos redondos (bolotas). Existem várias árvores do gênero Quercus, as quais produzem bolotas e de propriedades medicinais bastante semelhantes.
Princípios ativos: Taninos (ácido quicitânico) dentre outros.
Propriedades:É muito recomendado o chá da casca para os casos de diarréia e na forma de banho para aliviar hemorróidas e fissuras tanto no ânus como no bico do seio. É indicada em casos de hemorragias, gengivas inflamadas e sangrentas. Usa-se compressas quentes da casca do carvalho para acalmar as dores osteomusculares ou articulares na região cervical.
Toxicologia:


CAVALINHA
Equisetum arvense, Equisetum xylochaeton
Partes Usadas: Brotos tenros.
Família: Equisetaceae
Características: Também conhecida como Rabo-de-cavalo e cola-de-cavalo, nasce em terrenos alagados , banhados e à beira de rios. Erva perene com raízes profundas e caules semelhantes ao da cana.
Princípio ativo: Glicosídios, sílica, saponina, equisetonina, equisitina, palustrina alcalóides, potásssio, ácido oxálico, málico e aconítico.
Propriedades:É diurética e hemostática.
Indicações: É usada com frequência nos períodos de desintoxicação. Combate as rugas e estrias da pele, unhas frágeis, flacidez mamária, úlceras varicosas, abcessos, feridas infectadas, eczemas, conjuntivites.
Toxicologia: É tóxica em grandes doses. Provoca fraqueza, ataxia, exaustão muscular e falta de apetite.

CEBOLA Allium cepa
Partes usadas: Bulbo.
Família: Liliáceas.
Características: Planta bulbosa que possui folhas estreitas, carnosas e verdes.
Princípio ativo: Vitaminas A, B1, B2, B5, C, sais minerais (potássio, fósforo, cálcio, sódio, silício, magnésio, ferro) e glicoquiina, flavonóides.
Propriedades:É diurética, antisséptica, antibiótica, bactericida, hipoglicemiante, vermífuga. Auxilia no tratamento da úlcera péptica.
Indicações: Age contra a paralisia e reumatismo. Para uso externo combate piodermites, hemorróidas, picadas de abelha, dores de origem reumática e calvície.
Toxicologia: Em altas doses pode agravar hipercloridria e a flatulência intestinal.

CENOURA Daucus carota
Partes Usadas: Raízes e sementes
Família: Apiáceas
Características: Planta bienal de até 80 cm de altura, com folhas divididas e flores brancas agrupadas em umbelas terminais.
Princípio ativo: Pectina, sais minerais diversos (potássio e fósforo), óleo essencial dentre outros.
Propriedades: Antidiarréica, remineralizante, diurética.
Indicações: Combate transtornos metabólicos e endócrinos (anemia, hipertiroidismo, dismenorréia, depressão nervosa), diarréia e colite, parasitos intestinais (oxiúros). É usada em cataplasmas (queimaduras) e decocção (rouquidão e tosse). É utilizada (em cataplasma) para curar feridas infectadas e também como cosmético para embelezar a pele.
Toxicologia:


CIPESTRE
Cupressus sempervirens
Partes Usadas: Frutas, sementes e folhas.
Família: Cupressáceas
Características:Originária da Ásia Menor, atinge até 25 m de altura, de frutos de forma poliédrica, de cor verde acinzentada. É também conhecido como cipestre-fúnebre, cedrinho, pinheiro-do-canadá
Princípio ativo: Hidrocarbonetos, taninos e diversas substâncias aromáticas.
Propriedades: Tônico do sangue, vasocontristor, tônico vesical, adstringente, sudorífero, diurético e febrífugo.
Indicações: É indicada no combate à disenteria, fraqueza, varizes, hérnias e a insônia. As sementes (chá) curam os males da próstata.
Toxicologia:

COPAÍBACopaifera officinalis L
Partes Usadas:a resina extraída do seu tronco
Família: Leguminosas
Características: Árvore de até 20 metros de altura de flores brancas que crescem em espigas. Seu fruto é oval e contém uma só semente.
Princípios ativos: Óleo essencial e resinas.
Propriedades: Antisséptico e antiinflamatório e tem ação balsâmica.
Indicações: É eficaz contra a blenorragia e também em casos de bronquite.
Toxicologia: Não ultrapassar as doses indicadas e nem utilizar por mais de 10 dias segui dos.


COUVE
Brassica oleracea var. acephala
Partes Usadas: Folhas
Família: Crucíferas
Características: Planta de folhas grandes muito divididas e de consistência carnosa.
Princípio ativo: Vitaminas A e C, minerais como o enxofre, iodo, cobre, cálcio, potássio, ferro e fósforo, magnésio, mucilagens e um fator antiulceroso ainda não bem identificado.
Propriedades: diurética, depurativa, vermífuga, antianêmica, antiulcerosa, anticancerígena, vulnerária e cicatrizante.
Indicações: É usada contra anemia, úlcera gástrica, bronquite e reumatismo, sendo para isso, ingerida em forma de suco.
Toxicologia: O uso prolongado pode exercer efeito antitireóideo.

COENTRO Coriandrum sativum L
Partes usadas: Frutos maduros
Família: Umbelíferas
Características: Herbácea de flores brancas ou cor-de-rosa, frutos redondos, medindo de 3 a 5 cm de diâmetro. É utilizando como condimento.
Princípio ativo: óleo essencial (linalol).
Propriedades: Eupéptico, carminativo, antiespasmódico.
Indicações: Gastrite, insuficiência pancreática, digestão difícil, flatulência, inapetência e mau hálito.
Toxicologia: A essência em doses elevadas pode provocar convulsões.

COMINHO Cuminum cyminum L
Partes usadas: Frutos
Família: Umbelíferas
Características: Herbácea anual de folhas muito finas. Seus frutos, medem de 5 a 6 mm de diâmetro. É utilizando como condimento.
Princípio ativo: óleo etéreo.
Propriedades: Aperitivo, digestivo e carminativo.
Indicações: gastrite, digestão difícil, flatulência e inapetência.
Toxicologia: A essência pode provocar convulsões.


CONFREI
Symphytum Officinale
Partes usadas: folhas.
Família: Borragináceas.
Características: É constituída de folhas lanceoladas e ásperas. A coloração de suas flores varia de brancas, rosadas ou violáceas. Também é conhecido como capim-roxo-da-rússia, erva-de-cardeal.
Princípio ativo:Possui alto teor de proteína, cálcio, ferro, simpetina, sais minerais, vitaminas, colina, consolidina, fósforo, etc.
Propriedades: Cicatrizante, tônico, depurativo, antiinflamatório, adstringente e analgésico.
Indicações:Suas folhas e raízes, usadas para uso externo, agem como cicatrizantes nas contusões, ferimentos, reumatismos e tromboflebites.
Toxicologia: Evitar o uso interno, pois produz irritação no fígado e estômago.Seu uso prolongado é cancerígeno.

CHAPÉU-DE-COURO Euchinodorus macraphyllum, Echinodorus grandiflorus
Partes usadas: folhas.
Família: Alismatáceas
Características: Também conhecida como erva-do-pântano, erva-d-brejo, chá-da-campanha. Erva ornamental que vive em brejos e pântanos de águas rasas. Possui folhas lanceoladas verdes com grandes nervuras e flores brancas.
Princípio ativo: Taninos, flavonóides, terpenos, glicosídios.
Propriedades:É laxante e diurética.
Indicações: É indicada contra gripes, resfriados, afecções dos rins e bexiga, arteriosclerose, moléstias da pele.
Toxicologia: Seu uso prolongado baixa a pressão.


CHICÓRIA
Chicorium endivia
Partes usadas: folhas.
Família: Cichorioideas
Características: Também conhecida como Escarola.
Princípio ativo: vitamina A, B e C, bem como minerais comocálcio, ferro, potássio e fósforo.
Propriedades: é depurativa, laxante.
Indicações: É indicada para anemia.
Toxicologia:

CHUCHU Sechium edule
Partes usadas: folhas e frutos.
Família: Cucurbitáceas
Características: Trepadeira anual de folhas cordiformes, flores unissexuais amareladas. Originário do México.
Princípio ativo: Cálcio, magnésio, potássio, fósforo e fibras.
Propriedades: Diurético, cardiotônico, hipotensor e antidiabético
Indicações: É importante para o bom funcionamento para os intestinos. Indicado para quem tem a pressão arterial alta.
Toxicologia:


DENTE DE LEÃO
Taraxacum officinale, Taraxacum dens leonis
Partes usadas: Folhas e raiz.
Família: Compostas
Características: Possui caule ereto e folhas verde-escuras dentadas cujas sementes possuem prolongamentos plumosos. Também conhecida como leontodonte, taraxaco e taraxacum.
Princípio ativo: Esteróides, ácido caféico, taraxacosídeo, pectina, vitaminas A, B, C e D, resinas, mucilagens e outros.
Propriedades: É depurativa, hepática, diurética, antiinflamatória, aperitiva, tônico estomacal, colerético e laxante suave.
Indicações: Por suas propriedades tônicas e digestivas, essa planta é especialmente útil em casos de pessoas nervosas, quando a ansiedade impede a boa digestão, e para certos casos de anemia, quando o problema maior está com a dificuldade do organismo em aproveitar o alimento ingerido. É muito eficaz no tratamento de problemas do fígado, inclusive cirrose no início.
Toxicologia:

ERVA-DOCE Pimpinella anisum
Partes usadas: Sementes, folhas e bulbos
Família: Umbelíferas
Características: Origináda no Egito, possui caule estriado, folhas inferiores lobadas, as demais multi-fendidas; inflorescência em umbela de flores alvacentas e pubescestes.
Princípio ativo: Anetol, colina, anisulmina, metilchavicol, estragol e ácido anísico.
Propriedades: Digestiva, diurética, sudorífica, carminativa e expectorante.
Indicações: O infuso das sementes facilita a digestão, alivia flatulência e cólicas intestinais, acalma excitação nervosa e insônia.
Toxicologia:

ERVA DE SANTA MARIA Chenopodium ambrosioides L
Partes usadas: Toda a planta.
Família: Chenopodiáceas.
Características: Herbácea de raízes oblongas, brancas e com interior amarelo de folhas lanceoladas, pequenas e dentadas. Suas flores são pequenas e brancas, ou esverdeadas. seus frutos são secos, pequenos e possuem numerosas sementes negras. É também conhecida como Mastruço, ambrósia, anserina, chá-do-méxico, mastruz, matruz, MENTRUZ, mentraz e quenopódio e erva-formigueira.
Princípio ativo: Esteróides, saponinas, terpenos e ascaridol dentre outros.
Propriedades: É tônico estomacal, carminativa, anti-helmíntica e vermífuga, diurético, cicatrizante, antireumático
Indicações: Folhas e sementes: dispepsia, flatulência, afecções hepáticas, astenia e afecções pulmonares: Sumidades florais, folhas e sementes: anti-helmíntica. Para uso externo é cicatrizante e usado como repelente de pulgas e carrapatos (folhas e sementes).
Toxicologia: Planta tóxica, podendo provocar aborto. Quantidades excessiva pode ser fatal. Não utilizar sem acompanhamento médico. Não exceder às doses indicadas.


ESPINAFRE
Tetragonia expansa
Partes usadas: folhas.
Família: Aizoáceas
Características: Planta anual cujas folhas constituem ótimo alimento.
Princípio ativo: Rica fonte de ferro e caroteno, além de vitaminas do complexo B.
Propriedades: Tônico, diurético, laxante, oxidante, cardiotônico, remineralizante, calmante e emoliente.
Indicações: Indicada para casos de anemias e pressão arterial alta.
Toxicologia:


ESPINHEIRA-SANTA
  Maytenus Aquifolia
Partes usadas: folhas.
Família: Celastráceas
Características: Planta arbórea de caule lenhoso e esgalhado, folhas lanceoladas e dentadas de frutos capsulares e achatados. É também conhecida como cancerosa, cancrosa, espinho-de-deus, maiteno, salva-vidas.
Princípio ativo: Taninos e óleo essencial.
Propriedades: Cicatrizante, diurética, anti-séptica e analgésica
Indicações: o chá das folhas possui poder cicatrizante e analgésico. É empregado no tratamento das afecções do aparelho digestivo e para cicatrizar feridas. O chá alivia a dor e apressa a cicatrização das úlceras estomacais e do duodeno. Atua aliviando a acidez do estômago e os gases intestinais.
Toxicologia:

ERVA-MOURA Solanum Nigrum L
Partes usadas: folhas e o caule.
Família: Solanáceas
Características: Planta de folhas de cor verde escura, com bordos irregulares. Suas flores são brancas e os frutos negros (bagas). Também conhecida como solano, arachichu, maria-preta, pimenta-de-galinha.
Princípio ativo: Sedativo e emoliente.
Propriedades: Sedativo e emoliente.
Indicações: Utilizado para aliviar o prurido da vulva ou do ânus e para acalmar a coceira no caso de sarna, herpes ou outro tipo de erupções.
Toxicologia: De sabor doce, as bagas são tóxicas, embora não causem a morte.


ESTRAGÃO
Artemísia dracunculus L
Partes usadas: Folhas e flores.
Família: Compostas
Características: Planta aromática de folhas lanceoladas e flores amareladas, que se agrupam em capítulos esféricos e pequenos.
Princípio ativo: Toda planta contém 1 óleo essencial rico em estragol.
Propriedades: É aperitiva digestiva, carminativa, antiséptica do tubo digestivo, vermífuga e emenagoga.
Indicações: É indicada em casos de inapetência, digestão lenta ou difícil, flatulência, fermentação e parasitos intestinais. É tempero muito usado na culinária.
Toxicologia: O uso da essência em demasia, produz forte excitação do sistema nervoso.


EUCALIPTO
Eucaliptus globulus
Partes usadas: Folhas e flores.
Família: Mirtráceas
Características: Árvore perene de grandes folhas lanceoladas e coriáceas, flores amareladas e frutos (bagas) duros e perfumados.
Princípio ativo: Terpenos, canfeno, limoneno, mirtenol, borneol, pinocarveol, flavonóides, cetonas, aldeídos e taninos.
Propriedades: antissépticas, expectorante, antiasmática, anti-inflamatórias, desinfetantes.
Indicações: Torna-se extremamente útil nos tratamentos que exijam banhos de assento, de tronco, locais, etc. O óleo de eucalipto é curativo nas gripes e resfriados com tosse. Por serem voláteis, suas propriedades podem atuar nos pulmões, faringe e amígdalas. Para esse fim, recomendam-se 3 gotinhas do óleo de eucalipto em uma colher de mel, aquecido como xarope. O chá de suas folhas ainda pode ser usado para emplastos, vapores e inalações.
Toxicologia: Não ultrapassar as doses indicadas por via interna.


FENO-GREGO
Trigonella fenum-graecum
Partes usadas: Sementes.
Família: Leguminosas
Características: Também conhecida como Alforfa, produz vagens curvas, estreitas e compridas.
Princípio ativo: Mucilagens e proteínas
Propriedades: Laxante e emoliente.
Indicações: uacute;teis em casos de anemia e inflamações em geral. Aplicada em forma de cataplasma, combate as hemorróidas.
Toxicologia:

FEL-DA-TERRA Centaurium umbellatum Gilib.
Partes usadas: Sumidades florais.
Família: Gencianácias
Características: Herbácea de folhas alongadas e flores cor-de-rosa.Atinge até 50cm de altura. É também conhecida como centáurea-menor, cháporrete, planta-da-febre.
Princípio ativo: Princípios amargos do tipo glicosídeos.
Propriedades: Tônico estomacal, colerético, hipoglicemiante, laxante, febrífuga e cicatrizante.
Indicações: Combate úlceras, feridas, eczemas e chagas. Reduz o nível de glicose no sangue.
Toxicologia:


FETO-MACHO
(broto de samambaia)Polipodium filixmas
Partes usadas: Rizoma e a raiz
Família: Polipodiáceas
Características: Também conhecido como samambaia, feto vivaz que atinge de 1 a 1,5 m de altura, suas folhas lanceoladas nascem diretamente do rizoma.
Princípio ativo: Filicilina.
Propriedades: Vermífuga.
Indicações: O rizoma ou broto é muito usado para combater a tênia. O broto deve ser colhido quando ainda possui bastante suco e usado assim fresco em doses pequenas.
Toxicologia: Desaconselhável para quem sofre de anemia, gastrice, úlcera duodenal ou cardiopatias.


FIGUEIRA
Ficus carica
Partes usadas: Os figos e o látex
Família: Moráceas
Características: Árvore perene de madeira branda, seiva leitosa, de folhas grandes e ásperas ao tato. Também conhecido como figueira comum, figueira-da-europa, figueira-de-baco.
Princípio ativo: Açúcares, glicose, sacarose, proteínas, sais minerais, vitaminas e ácidos orgânicos, dentre outros.
Propriedades: Tônico, laxante suave, cicatrizante, emoliente, calmante.
Indicações: Prisão de ventre, esgotamento físico, faringite, bronquite e tosse seca. Para uso externo, combate feridas infectadas, furúnculos, abcessos e fleimões dentários.
Toxicologia:

FUNCHO Foenicolum vulgare Mill
Partes usadas: Bulbo, folhas e sementes.
Família: Umbelíferas
Características: Erva perene, geralmente confundida com a erva-doce, as sementes do funcho sáo graúdas, bem maiores que as sementes da erva-doce.
Princípio ativo: 1 óleo essencial.
Propriedades: Aromático, carminativo, sedativo, emenagogo e curativo.
Indicações:O chá das folhas e sementes é digestivo, favorece a secreção do leite materno.
Toxicologia:


GATÁRIA
Nepeta cataria
Partes usadas: Folhas e sumidades florais
Família: Labiadas
Características: Também conhecida como erva-gato, é uma planta vivaz que atinge de 20 a 60 cm de altura. De flores rosadas ou amareladas, toda ela exala cheiro de hortelã.
Princípio ativo : Óleo essencial (timol e carvacrol), cetonas e terpenos.
Propriedades: Antiespasmódicas, antidiarréicas, carminativas e peitorais.
Indicações: Combate diarréias e cólicas que as acompanham. É indicada também no caso de catarro brônquico e na eliminação de gases intestinais.
Toxicologia:

GERVÃO Verbena officinalis
Partes usadas: Folhas e flores
Família: Verbenáceas
Características: Arbustiva européia que pode alcançar até 80 cm de altura, possui folhas opostas e flores lilás pequenas e dispostas em espigas. É também conhecida como gervão-roxo, erva-gervão, origão, vassourinha-de-botão, oribão.
Princípio ativo: Glicosídeos, saponinas, taninos e mucilagens.
Propriedades: Cicatrizante, béquico, diurético, vermífugo, digestivo
Indicações: Combate úlcera péptica, afecções hepáticas e biliares, parasitos intestinais, febres, bronquite crônica e dores de origem reumática.
Toxicologia:


GENCIANA
Gentiana lutea
Partes usadas: Folhas
Família: Gencianáceas
Características: Originária dos Alpes, de caule ereto e liso, de folhas grandes e ovaladas e flores amarelo-vivo. É também conhecida como Gencianela.
Princípio ativo: Possui o princípio amargo mais forte conhecido até o presente. Possui também fenóis, glicosídeos e pectina.
Indicações: É muito eficaz nos problemas digestivos, combatendo os vermes do intestino. Combate quadros febrís e dores de origem reumáticas.
Toxicologia: Desaconselhável para quem sofre de úlcera gastroduodenal.

GERGELIM Sesamum Indicum L.
Partes usadas: Sementes
Família: Pedaliáceas
Características: Herbácea de flores brancas, rosa ou púrpura. Originária da ïndia, atualmente sua cultura estende-se a outras regiões tropicais e subtropicais da América, África e países mediterrâneos.
Princípio ativo: Ácidos graxos insaturados dentre outros.
Propriedades: Emulsivante e laxante.
Indicações: Combate esgotamento nervoso ou mental. Combate o stress, perda de memória, depressão nervosa, irritabilidade ou desequilíbrio nervoso. É um excelente complemento nutritivo Previne o enfarto do miocárdio e a trombose arterial.
Toxicologia:


GENGIBRE
Zingiber oficinale roscoe
Partes usadas: Rizoma
Família: Zingiberáceas
Características: Herbácea anual, de cerca de 1,3m de altura, de folhas verdes e flores verde-amareladas, com rizoma muito ramificado e um pouco achatado, de sabor picante e odor aromático.
Princípio ativo: Óleo essencial rico em terpenos, fenóis (gingerol) responsável pelo sabor ardente, e resinas.
Propriedades: Descongestionante, tônico, expectorante, eupéptico, afrodisíaco, digestivo, carminativo, sudorífero.
Indicações: è usada para combater gripes, resfriados, tosses, fraquezas do estômago, rouquidão, bronquites, dores reumáticas, nervo ciático e nevralgias. Impede a formação de gases no aparelho digestivo.
Toxicologia: Em doses altas produz gastrite. O uso da tintura (álcoólica) é desaconselhado por ser irritante para o estômago.


GIRASSOL
Helianthus annuus
Partes usadas: sementes
Família: Compostas
Características: Arbusto de caule verde e de folhas verde-esbranquiçadas, ásperas, cordiforme-lanceoladas. Natural do méxico e do Peru.
Princípio ativo: Glicosídeos e histiolina.
Propriedades: Vulnerária, febrífuga, tônica, cardíaca, estomáquica, antinevrálgica.
Indicações: Muito utilizada em acalmar dores de cabeça e distúrbios nervosos. Sua semente produz óleo rico em gorduras poliinsaturadas, recomendada aos que precisam evitar o colesterol.
Toxicologia:


GOIABEIRA VERMELHA
Psidium guayava
Partes Usadas: Broto, a casca das raízes e os frutos
Família: Mirtáceas
Características: Árvore que atinge até 6 meros de altura, de casca lisa e parda. Dá flores brancas e frutos carnosos de polpa branca ou rosada.
Princípio ativo: taninos, mucilagens, pectina, minerais, vitaminas (A, B, C),
Propriedades: antiescorbúticas, remineralizantes, tonificantes e laxante.
Indicações: Seus brotos (até a 6a. folha a partir do ápice) são ricos em tanino é excelente antisséptico bucal e intestinal. É um ótimo remédio para a diarréia e a disenteria. É uma das plantas mais ricas em vitamina C.
Toxicologia:


GUAÇATONGA
Casearia sylvestris
Partes usadas: Folhas
Família: Flacurtiáceas
Características: Árvore com 10 a 20 m de altura, de tronco tortuoso, com casca de coloração acinzentada a acastanhada, rugosa e com pequenas fendas superficiais. Folhas alternas, simples, lanceoladas até ovaladas ou elípticas. Flores numerosas, branco-esverdeadas ou amareladas. Seu fruto é uma cápsula vermelha quando madura, possui de 2 a 6 sementes envoltas em arilo lanoso, amarelo e comestível. É também conhecida como chá-de-bugre, cafeeiro-do-mato, erva-de-bugre, guassatonga, guassatunga. No Brasil, é encontrado desde a Bahia até o Rio Grande do Sul.
Princípio ativo: Flavonas, óleos essenciais e saponinas, taninos, resinas, antocianosídeos.
Propriedades: Febrífugo, depurativo, anti-diarréico, cardiotônico, diurético,
Indicações: É usada em forma de chá forte, concentrado, para cicatrizar feridas e como emplasto nas lesões por picada de cobra. Tem efeito anestesiante e cicatrizante nas feridas da pele e da mucosa.
Toxicologia:

GUACO Mikania guaco
Partes usadas: Toda a planta
Família: Asteraceae
Características: Trepadeira perene de folhas ovais, simples, suculentas e cheirosas e de inflorescência de cor branca. É também conhecida como cipó-catinga, cipó-sucuriju, erva-de-cobra e vaco.
Princípio ativo: Flavonóides, cumarinas, terpenos, guacina, glicosídios, resinas e taninos.
Propriedades: Diurético, béquico, expectorante, anti-reumático, febrífugo, sudoríparo e depurativo.
Indicações: Fornece um chá perfumado e muito útil em casos de tosse e catarros.
Toxicologia: O uso prolongado predispõe a acidentes hemorrágicos.

GUINE Petiveria tetrandra
Partes usadas: Raiz e folha.
Família: Fitolacáceas
Características: Arbusto perene de ramos eretos, folhas alternas elípticas, lisas. Necessita de solo fértil e pouco ensolarado.
Princípio ativo: Óleo essencial, taninos e flavonóides.
Propriedades: Analgésica, antimicrobiana e antireumática.
Indicações: Combate enxaqueca, paralisia, reumatismo, artrite e hidropisia.
Toxicologia: É abortiva.


GRAVIOLEIRA
Annona muricata L.
Partes Usadas: Frutos, folhas e flores
Família: Anonáceas
Características: Árvore de tronco reto e casca lisa, de folhas grandes, lanceoladas e de fruto grande e coberto de bicos tênues.
Princípio ativo: Proteínas, lipídios, vitaminas B e C, sais minerais.
Propriedades: Adstringente, colagoga, digestiva e vermífuga, antidiarréicas e antiinflamatórias.
Indicações: Em cataplasma são antiinflamatórias. Suas flores são peitorais e febrífugas. É recomendada aos hipertensos, obesos, cardíacos e diabéticos.
Toxicologia:

GRAMA Agropyrum repens (L)
Partes usadas: O rizoma
Família: Gramíneas
Características: Também conhecida como gramacanina, grama-da-tosse, grama-dos-nervos, capim de Burro (graminha, pata de galinha, grama comúm ou grama fina) – apresenta o rizoma mais grosso que o da grama, porém suas propriedades medicinais são semelhantes. Cresce nas zonas tropicais e subtropicais da América e é usada como forragem, relva ou para fixação de terrenos.
Princípio ativo: Glicídios e mucilagem.
Propriedades: Diurética, antisséptica, antiinflamatória, depurativa, sudorífico e emoliente.
Indicaçoes: Combate cálculos urinários, gota, artritismo, celulite, febre, cistite, uretrite
Toxicologia:


HAMAMÉLIS
  Hamamelis virginiana
Partes usadas: Folhas e a casca.
Família: Hamamélidáceas.
Características: Árvore que atinge até 5 m de altura, de folhas alternas ovaladas e flores pequenas amareladas.
Princípio ativo: Taninos, flavonóides e saponinas.
Propriedades: Tônico venoso, hemostático, sedativo ocular.
Indicações: Varizes, flebites, pernas cansadas e hemorróidas. Combate dermatites, eczemas, pele sêca e rugas.
Toxicologia:


HELIOTRÓPIO
Heliotropium europaeum L
Partes usadas: Folhas.
Família: Boragináceas
Características: Planta de aroma agradável, que atinge até 80 cm de altura. Suas folhas e caules são cobertos de pêlos suaves. É usada como planta ornamental. Também conhecida como tornassol, verrucária.
Princípio ativo: Alcalóides .
Propriedades: Anti-séptico, cicatrizante, febrífugo e emenagogo.
Indicações: Desinfeta e cicatriza as feridas. Ativa a menstruação e estimula o funcionamento da vesícula biliar.
Toxicologia:


HIPÉRICO
Hypericum perforatum
Partes usadas: Folhas e flores.
Família: Gutíferas
Características: Arbusto de folhas pequenas, opostas, ovais e alongadas perfuradas por uma multidão de orifícios. Suas flores são amarelo-douradas (5 pétalas, 3 estilos e vários estames).
Princípio ativo: Taninos, flavonóides, 1 óleo essencial (hipericina) dentre outros..
Propriedades: Antitussígeno, antireumático, vulnerário, analgésico, balsâmico, antiespasmódico, digestivo, colagogo e colerético, tonificante do sistema nervoso: combate a depressão ou neurose.
Indicações: É muito usado para curar feridas e queimaduras, a incontinência urinária das crianças e na eliminação de vermes.
Toxicologia: Evitar ação direta do sol sobre a pele enquanto estiver tomando ou aplicando o hipérico.


HORTELÃ
Menta piperita
Partes usadas: Flôres, folhas e sementes
Família: Labiadas
Características: Herbácea perene de caule violáceo, folhas ovais e dentadas, com flores reunidas em espigas, de cor rosada ou lilás. Também conhecida como hortelã-de-cheiro, hortelã-de-folha-miúda, hortelã-de-tempero, hortelã-pimenta e menta.
Princípio ativo: óleo essencial (terpenos), aldeídos e taninos, resinas, flavonóides, ácidos, carotenos, vitaminas e outros
Propriedades: Antifungica, antiinflamatória, analgésica, anestesica e antiespasmódica. Calmante e digestivo.
Indicações: Seu suco, puro ou com um dentinho de alho, ajuda a combater os vermes intestinais.
Toxicologia:

IPECACUANHA Cephaelis ipecacuanha A. Rich.
Partes usadas: Raiz triturada em pó
Família: Rubiáceas
Características: Arbusto de raízes longas e aneladas, com flores brancas. Também conhecida como cagosanga, canela-da-menor, cipó-emético, ipeca, ipê-caá-coene, ipecapoaie, poiaia-cinzenta.
Princípio ativo: Saponinas, emetina e outros alcalóides; flavonóides, glicosídeos e resinas .
Propriedades: É emética, expectorante e amebicida.
Indicações: Emprega-se para esvaziar o estômago em caso de intoxicação, quando não é possível fazer lavagem gástrica.
Toxicologia: O pó é irritante para a pele. Usar nas doses indicadas.

IPÊ-ROXO Tecoma conspicua, Tecoma Speciosa
Partes usadas: casca
Família: Bignoniáceas
Características:Arbórea de folhas lanceoladas compridas e verdes de flores tubulares apresentando coloração arroxeada. Também conhecida como pau-d’árco ou tecoma.
Princípio ativo: carabinase e taninos.
Propriedades: Antitumoral, antiinflamatório, analgésico, cicatrizante, depurativo e tônico.
Indicações: Combate úlceras pépticas, estomatite, sífilis e diabetes (mellitus). É usado também para combater afecções cutâneas.
Toxicologia:


JAMBOLÃO
  Eugenia jambolana Lam.
Partes usadas: Casca, flores e sementes
Família: Mirtáceas
Características: Arvore de até 10 m de altura de copa ampla, muito ramificada. Folhas lisas e brilhantes. Flores creme ou brancas. Seu fruto é ovóide de cor roxo-avermelhada, quase negra. É também conhecido como jamelão.
Princípio amargo: Eugenol, jambosina, antimelina, limoneno, cariofileno, homuleno, ácido gálico e taninos.
Propriedades: antidesentérica, anti-hemorrágica e anti-diabética.
Indicações: Sua semente moída fornece um chá para diabetes. A casca é anti-hemorrágica.
Toxicologia:


JABORANDI
Pilocarpus pennatifolius Lam
Partes usadas: Folhas
Família: Rutáceas
Características: Arbusto que pode atingir até 1,5 m de altura, originária do Brasil. Suas folhas estão repletas de pequenas bolsas secretoras que quando esfregadas soltam um cheiro semelhante ao da laranja. É também conhecida como Jaborandi-verdadeiro.
Princípio ativo: Pilocarpina.
Propriedades: Parasimpaticomiméticas (Reproduz a ação exercida pelo sistema nervoso parassimpático).
Indicações: É usado sempre que se queira aumentar a produção de suor (gripe, edemas ou hidropisia) e em caso de glaucoma.
Toxicologia: Deve ser usado sob cuidados médicos e respeitando as doses indicadas.

LOSNA Artemisia abisinthium
Partes usadas: Folhas e pequenos capítulos florais.
Família: Compostas
Características: Planta que alcança de 40 a 80 cm de altura, de flores amarelas agrupadas em pequenos capítulos. Também conhecida como absinto, absíntio, erva-dos-vermes, losna-maior, absíntio-comum.
Princípio ativo: Princípios amargos (absintina), 1 óleo essencial, sais minerais e taninos.
Propriedades: Vermífuga, digestiva e emenagoga, tônico gástrico e vermífugo.
Indicações: dispepsia, insuficiência hepática, regras irregulares e dolorosas.
Toxicologia: Em doses elevadas é convulsiva, provoca tremores, delírio e vertigens.
Retorna

LIMOEIRO Citrus limon (L.) Burm.
Partes usadas: Folhas e frutos.
Família: Rutáceas
Características: Árvore de médio porte, de folhas perenes, verdes e brilhantes; suas flores são róseas na parte externas e brancas internamente. Seus frutos são globosos, com casca de coloração amarela. Também conhecido como limão-galego, limão, limão-verdadeiro.
Princípio ativo: Pectina, limonina, felandrina e hidrocarbonetos terpênicos, dentre outros.
Propriedades: Sedativo, antiespasmódico, sudorífico, vermífugo, antiescorbútico, alcalinizante, depurativo e tônico digestivo.
Indicações: Combate dores reumáticas, diarréias, astenia, dispepsia, escorbuto, hipertensão arterial, aterosclerose, afecções das vias biliares. Para uso externo é anti-séptico.
Toxicologia: Em doses elevadas é convulsiva, provoca tremores, delírio e vertigens.


LINHO
Linum usitatissimum L
Partes usadas: Sementes
Família: Lináceas
Características Herbácea de 40 a 80 cm de caule ereto, folhas alongadas e estreitas. Suas flores são azul-clara e seu fruto é uma cápsula globulosa com 10 sementes.
Princípio ativo: Mucilagens e pectina.
Propriedades: Laxante e emoliente.
Indicações: Para prisão de ventre crônica, gastrite, úlcera duodenal, inflamações inflamatórias e urinárias..
Toxicologia: O óleo contido na farinha de linhaça cria ranço muito rapidamente, provocando irritação da pele. Use sempre farinha recente para preparar cataplasmas.

LOURO Laurus nobilis
Partes usadas: Folhas e frutos
Família: Lauráceas
Características Árvore de folha perene, lanceoladas, brilhantes na face superior e fosca na inferior. Suas flores são pequenas de cor brancas ou amareladas.
Princípio ativo: Princípios amargos, taninos e um óleo essencial.
Propriedades: Aperitivo, eupéptico, carminativo, diurético, emenagogo, anti-reumático e anti-inflamatório.
Indicações: Facilita a digestão, combate a inapetência, regula o ciclo menstrual.
Toxicologia:


LÚPULO
Humulus lupulus
Partes usadas: Flores (inflorescências) e o lupulino (pó amarelo que recobre as flores).
Família: Moráceas
Características Trepadeira cujos exemplares femininos produzem inflorescências globulosas (com forma de pinha) quando o fruto amadurece. Prefere regiões menos quentes.
Princípio ativo: Terpenos, flavonóides e princípios amargos, dentre outros.
Propriedades: Sedativa, digestiva e aperitiva.
Indicações: Muito conhecido o chá de lúpulo para favorecer o sono. É útil(uso interno) em casos de enxaqueca. Aplica-se também em casos de digestão difíceis, infusão e/ou compressas. As flores feminiinas da plantas são utilizadas na fabricação da cerveja.
Toxicologia: Seu uso excessivo pode provocar náuseas.


MAÇÃ
   Pirus malus
Partes usadas: Frutos, casca e flores
Família: Rosáceas
Características: Árvore de porte médio de flores brancas e frutos carnosos, também conhecida como macieira.
Dicas de Cultivo: Exige clima temperado para se desenvolver. Solo sílico-argiloso e profundo.
Princípio ativo: Ácidos, glicídeos, minerais, lipídios, protídeos, taninos, pectina dentre outros.
Propriedades: Antidiarréica, laxante, diurética e depurativa.
Indicações: Reguladora das funções intestinais, combate artrite, reumatismo, cálculos urinários, diminui o colesterol.
Toxicologia:

MACELINHA Egletes viscosa
Partes usadas: Folhas e flores
Família: Compostas
Características: Herbácea de folhas lanceoladas e flores douradas reunidas em capítulos. Também conhecida como losna-do-mato.
Princípio ativo: Ácidos e terpenos.
Propriedades: Reguladora das funções intestinais, antiinflamatório, antiséptico, antimicrobiana, antiespasmódica, analgésica e sedativa
Indicações: Acalma e favorece o sono.
Toxicologia:


MALVA
Malva sylvestris
Partes usadas: Folhas e flores.
Família: Malváceas
Características: Herbácea bianual de folhas lobadas, palmadas, pubescentes, com flores azuis, amarelas ou púrpuras. Pode atingir até 60 cm de altura. Também conhecida como Malva-roxa, malva-silvestre, malvaisco, malva-rosa.
Princípio ativo: Malvidol, pectina, taninos, mucilagens e resinas entre outros.
Propriedades: Emoliente, laxante e expectorante.
Indicações: É indicada para casos de prisão de ventre crônica, afecções respiratórias, das mucosas e da pele. Usada em casos de inflamações, principalmente no combate às afecções do aparelho genital feminino. É empregada em casos de bronquite crônica, constipação intestinal, colites, ansiedade, insônia, coqueluche, afecções das vias aéreas supeiores. Para uso externo é indicada nos casos de contusões e hemorróidas.
Toxicologia:

MAMOEIRO   Carica papaya
Partes usadas: Látex, folhas e frutos.
Família: Caricáceas
Características: Árvore de tronco cilíndrico, sem ramos em cuja parte superior nascem os frutos e as folhas. . Também conhecida como
Princípio ativo: Papaína.
Propriedades: Vermífugo
Indicações: É recomendado para quem sofre de insuficiência de sucos digestivos. Indicado também para colite, cólon irritável e prisão de ventre crônica.
Toxicologia:


MAMONA
   Ricinus communis L
Partes usadas: Óleo das sementes e as flores.
Família: Euforbiáceas
Características: Caracteriza-se por folhas grandes palmadas e frutos rodeados de espinhos e contendo três sementes em seu interior. Também conhecida como mamoneira, palma-Christi, carrapateiro e rícino.
Princípio ativo: Alcalóides (ricinina), glucoproteína (ricina).
Propriedades: Vermífugo, purgante (uso interno), emoliente e cicatrizante (uso externo).
Indicações: Combate a parasitos intestinais e externamente é usado para combater eczemas, herpes, erupções, feridas, queimaduras e calvície.
Toxicologia: A ingestão de suas sementes pode ser mortal, tanto para crianças (3 sementes) como para adultos (15 sementes).

MANJERICÃO Ocimum minimum ver Alfavaca

MANJERONA Origanum majorana
Partes usadas: Sumidades florais e as folhas.
Família: Labiadas
Características: Planta vivaz, de caule ramificado, pequenas folhas ovais e esbranquiçadas com pequenas flores, brancas ou púrpuras. Seus frutos são ovais e lisos.
Princípio ativo: Óleo essencial com 40% de terpenos.
Propriedades: Antiespasmódica (essência e infusão), carminativa, digestiva, sedativa (essência e infusão), hipotensora (essência e infusão), expectorante e anti-reumática (fricções).
Indicações: Também usada como tempero, combate à insônia, gripes, resfriados, flatulência, cólicas menstruais.
Toxicologia: É contra-indicada para diabéticos.


MARACUJÁ
Passiflora incarnata ou quadrangularis
Partes usadas: Flores, folhas e frutos.
Família: Passifloráceas
Características: Trepadeira de caule lenhoso cujas flores brancas ou avermelhadas se destacam pela grande beleza. Seu fruto é ovóide e carnoso, de cor alaranjada e com sementes negras. É originária do sul dos EUA e México. Cresce em terrenos secos e abrigados. Também conhecida como
Princípio ativo: Flavonóides, pectina dentre outros.
Propriedades: Sedativa, antiespasmódica, sonfífera, tonificante, refrescante.
Indicações: Combate ansiedade, nervosismo, stress, insônia, dores e espasmos diversos.
Toxicologia:


MELISSA
Melissa Oficinallis L
Partes usadas: Raiz.
Família: Labiadas
Características: Também conhecida como Erva Cidreira, é planta perene de folhas verde claro em forma de coração e de flores amarelo-claro. Semeia-se de setembro a janeiro em solos rico em matéria orgânica.
Princípio ativo: Óleo essencial rico em aldeídos e terpenos; taninos, ácidos, flavonóides e princípios amargos.
Propriedades: Digestiva e Sedativa.
Indicações: Combate gases, cólicas intestinais, facilita menstruação, combate cachumba e é boa para a digestão.
Toxicologia: .


MIL-FOLHAS ou MIL-EM-RAMA
Achillea millefolium
Partes usadas: Flores
Família: Compostas
Características: Também conhecida como Aquiléia, mil em rama, etc, esta planta possui folhas divididas em pequenos segmentos e flores brancas ou rosadas, que se agrupam em forma de sombrinha. Tem o odor de cânfora.
Princípio ativo: Contém tanino, óleo essencial, insulina e aquileína.
Propriedades: é tônica e estimulante das funções hepáticas. É antiespasmódica, adstringente, anti-hemorrágica, hemostática.
Indicações: As flores e folhas são usadas em chá para uso interno e externo.
Toxicologia: Desaconselhável para os que sofrem de úlcera gastro-duodenal. Em dose muito elevada produz na pele um tipo de alergia.


MILHO
Zea mays
Partes usadas: Estiletes e frutos.
Família: Gramíneas
Características: Planta anual com flores masculinas e femininas separadas. As flores femeninas se agrupam em uma espiga, de onde surge um estilete de 20 cm de comprimento. Os estiletes juntos formam o cabelo do milho. Os frutos são os grãos de milho.
Princípios ativos: Rica em óleos, sais de potássio e tanino, entre outros.
Propriedades: Emoliente e protetor da mucosa intestinal, refreador do metabolismo. É diurético e depurativo. Eacute; excelente fonte de caroteno, ferro, cálcio, enxofre e vitamina C.
Indicações: Combate o hipertireóidismo, anemia, desnutrição, reduz o colesterol, hipertensão arterial, nefrites, gota, etc.
Toxicologia: Os cabelos do milho são desaconselhados para quem sofre de hipertrofia da próstata.

MIRTILO Vaccinium Myrtillus
Partes usadas:
Família: Ericáceas
Características: Produz frutos de valor nutritico considerável e com os quais se prepara uma espécie de marmelada.
Princípio ativo: Flavonóides dentre outros.
Propriedades: Tônicas e adstringentes
Indicações: Melhora a visão das pessoas que lêem muito. Protege os olhos dos diabéticos e dos hipertensos. Melhora a circulação sanguínea nas artérias, nas veias e nos capilares. Combate (baixa) o açúcar do sangue
Toxicologia:


MORANGUEIRO
Fragaria vesca L.
Partes usadas: Frutos
Família: Rosáceas
Características: Planta que atinge de 5 a 20 cm de altura, de folhas trifoliadas, flores brancos com cinco pétalas. Também conhecida como fragária, fragária-rosa. Também conhecida como Fragária.
Princípio ativo: Mucilagens, ácidos orgânicos e vitaminas, sais minerais dentre outros.
Propriedades: depurativa, alcalinizantes, laxante, tonificantes, remineralizantes, emolientes.
Indicações: É indicado nos casos de artritismo, gota, prisão de ventre, estomatites, gengivite, faringite e outras afecções da boca.
Toxicologia: Em algumas pessoas, a ingestão de morangos produz urticária por reação alérgica.


NOGUEIRA
Juglans regia L
Partes usadas: Folhas e frutos
Família: Juglandáceas
Características: Também conhecida como nogueira-do-Ceilão e nogueira-da-Índia, possui casca de cor acinzentada com folhas de um longo pecíolo. O fruto é uma drupa.
Princípio ativo: Taninos dentre outros..
Propriedades: É adstringente, anti-séptica, cicatrizante, tonificante, vermífuga e hipoglicemiante.
Indicações: É indicada também para combater parasitos intestinais, quando se usa as cascas dos frutos verdes. É recomendável aos que sofrem de esgotamento, astenia ou transtornos do sistema nervoso.
Toxicologia:


OLIVEIRA
Olea europaea
Partes usadas: Toda a planta.
Família: Oleáceas,
Características Arvore atinge de 6 a 10 metros de altura, com abundantes ramificações. Seu fruto, a azeitona, contém 3% de proteínas, 39% de hidrados de carbono e 8% de fibra bruta além de potássio, sódio, cálcio, magnésio e ferro.
Princípio ativo: Olina, araquidina e palmitina.
Propriedades: Antiinflamatória, eupéptica.
Indicações: O óleo é eficaz em inflamações do estômago e intestinos.
Toxicologia:


OREGANO
Origanum vulgare
Partes usadas: Sumidades florais
Família: Labiadas
Características Atinge até 60 cm de altura, de folhas pequenas de cor rosa-púrpura. Também conhecida como orégão, ourego, orégam.
Princípio ativo: óleo essencial (timol e carvacrol)
Propriedades: Sedativo, antiespasmódica, béquica, carminativa, antireumáticas.
Indicações: Combate a tosse, as doenças do pulmão, as dores musculares.
Toxicologia:


PATA DE VACA
Bauhinia forticata
Partes usadas: Toda a planta.
Família: Leguminosas
Características: Arbórea de folhas verdes bilobadas. Suas flores são brancas ou rosa e seu fruto (vagem) achatado e escuro. É também conhecida como bauínia, miroró, mororó, pata-de-boi, pata-de-burro, unha-de-anta e unha-de-vaca.
Princípio ativo: Taninos, flavonóides e glicosídeos.
Propriedades: É diurética e expectorante.
Indicações: É empregada nos tratamentos da diabetes. A casca é indicada para diabetes e as folhas como diurético.
Toxicologia:

PARIETÁRIA Parietaria officinallis
Partes usadas: Caules e folhas.
Família: Urticáceas
Características: Planta vivaz que atinge até 30 cm de altura e cresce em regiões de diferentes climas ao longo de todo o Brasil. Tem folhas cobertas por uma penugem não urticante.
Principio ativo: Sais de potássio, taninos, princípios amargos, mucilagens e flavonóides.
Propriedades: Diurética, antiinflamatória, adstringente e emoliente.
Indicações: Afecções das vias urinárias e para uso externo é usado para curar feridas, queimaduras, fissuras anais e labiais.
Toxicologia:

PEPINO Cucumis sativus
Partes usadas: Fruto
Família: Cucurbitáceas
Características: Herbácea rastejante de caule e ramos angulosos e ásperos. Suas flores são amarelas, solitárias (masculinas) ou em cachos. E originário do sudeste da Ásia.
Princípio ativo: Possui boa quantidade de vitamina C, A, B1, e B2. Potássio, enxofre. Carboidratos, proteínas e gorduras; sais de potássio, fósforo, cálcio, sódio, magnésio e ferro.
Propriedades: É ciurético, sedativo, anti-reumático e sonífero
Indicações: usado contra erupções cutâneas, cólicas intestinais e em tratamentos de beleza.
Toxicologia:

PICÃO Bidens pilosa
Partes usadas: Toda a planta.
Família: Compostas
Características: Herbácea que atinge até 60 cm de altura, de folhas lanceoladas com os bordos serreados e flores amarelas. É também conhecida como carrapicho, erva-picão, gariofilata, guambu, macela-do-campo, picão-preto e piolho-de-padre.
Princípio ativo: Terpenos, carotenóides, glicosídios, fitosteróides, poliacetilenos e ácido nicotínico.
Propriedades: Vulnerária, antidesentérica e hepática.
Indicações: Muito usado na forma de chá para combater icterícia e hepatite. Tanto para uso interno como para banhos, o picão é muito conhecido pelos que procuram nas plantas o remédio.
Toxicologia:


PITANGA
  Stenocalix pitanga
Partes Usadas: Folhas e frutos
Família: Mirtráceas
Características: Nativa do Brasil, é planta arbustiva, de caule e ramos sinuosos e folhas opostas verde-escuras; inflorescência de flores alvacentas com muitos estames.
Princípio ativo: Jambosina, taninos, sais de cálcio, ferro e vitamina C.
Propriedades: Adstringente, Anti-reumática, antidesintérica, Calmante, febrífuga e vermífuga.
Indicações: É usada em forma de chá (decocção) para combater reumatismos, febres e diabetes. Combate também bronquite infantil, gota, hipertensão, ansiedade
Toxicologia:


PITEIRA
Agave americana L
Partes Usadas: Raiz, folhas e a seiva
FAmília: Amarilidáceas.
Características: Também conhecida como pita, gravatá-açú, caroatá-açú, agave.
Princípio ativo: Contém glicosídeos e saponinas.
Propriedades: Diurética, depurativa, cicatrizante.
Indicações:
Toxicologia:

POEJO Mentha pulegium
Partes usadas: Toda a planta
Família: Labiadas
Características: Suas folhas miúdas e delicadas poussuem um intenso sabor de hortelã.
Princípio ativo: Óleo essencial ( pulegona).
Propriedades: Digestivo, tônico estomacal, excpectorante, emenagogo, antiespasmódico, anti-séptico e carminativo.
Indicações: Mau hálito, combate as fermentações intestinais, é muito utilizado nos resfriados e na tosse convulsa.
Toxicologia: O uso da essência em doses elevadas pode ser perigoso.

PULSÁTILA Pulsatila vulgaris
Partes usadas: Folhas, flores e raiz.
Família: Ranunculáceas
Características: Herbácea de folhas finas e muito divididas, que atinge até 40 cm de altura. Suas flores são de cor violeta ou púrpura, apresentando seis sépalas. É também conhecida como anémona, flor-do-vento, flor-de-Páscoa.
Princípio ativo: anemonina, saponinas e tanino, dentre outros.
Propriedades: Antiespasmódicas, emenagogas, antibióticas, antimitóticas.
Indicações: Combate a insônia, cólicas digestivas, regula o ciclo menstrual, estimula a atividade ovariana.
É indicada, também, para combater as dores nevrálgicas, é expectorante, emética e sudorípara.
Toxicologia:

QUÁSSIA Quassia amara L
Partes usadas: Casca e a madeira do tronco e da raiz
Família: Simarubáceas
Características: É também conhecida como quássia-amarga, quássia-de-caiena, pau-amarelo.
Princípio ativo: princípio amargo quassina, o mais importante, resina, mucilagens, pectina e taninos.
Propriedades: Tônico estomacal, febrífugo, vermífugo, digestivo e aperitivo.
Indicaçõe: A casca dessa árvore é útil principalmente para os que sofrem de problemas digestivos. Muito útil também em casos de debilidade digestivas por problemas nervosos. É um fortificante do estômago, muito eficaz. Combate os oxiúros.
Toxicologia: Produz vômitos se usada em doses altas. É desaconselhável seu uso por mulheres durante a menstruação e portadores de úlcera gastroduodenal.

QUEBRA-PEDRA Phyllantus niruri L
Partes usadas: Toda a planta
Família: Euforbiáceas
Características: Herbácea rasteira com pequenas folhas elípticas e fruto de sementes arredondadas.
Principio ativo: Alcalóides, mucilagem, pigmentos e flavonóides
Propriedades: Diurético, antiinflamatório, tônico estomacal, aperiente.
Indicações: é utilizada para disolver ácido úrico e por suas propriedades diuréticas. Regularizador das funções intestinais e distúrbios prostáticos.
Toxicologia:


QUINA
cinchona calysaia ou Cinchona officinallis
Partes usadas: Casca do tronco e dos ramos e também a da raiz trituradas.
Família: Rubiáceas
Características: São conhecidas como quina a casca que cobre o tronco e as ramificações dessa árvore.
Principio ativo: Alcalóides, taninos, essências e princípios amargos.
Propriedades: Febrífugas, antimaláricas, tonificante, adstringente e cicatrizante.
Indicações: Suas propriedades terapêuticas estimulam as funções intestinais, gástricas e hepáticas.
Toxicologia: Não exceder as doses indicadas para uso interno, já que podem causar náuseas e vômitos.


RABANETE
Raphanus sativus
Partes usadas: Bulbos
Família: Crucíferas
Características: Herbácea de folhas ramificadas e flores brancas com litras cor-de-rosa. Sua raiz é um bolbo de cor branca, vermelha ou parda escura.
Principio ativo: Glicosídeo sulfurado (glucorafenina), sais minerais, vitaminas B e C. Possui boa quantidade de vitamina C, fósforo, enxofre, ferro, sódio, cloro, potássio, cálcio e magnésio.
Propriedades: Colagogo, aperiente, estomáquico, vermífugo, colerético, antibiótico, peitoral e estimulante das funções cerebrais.
Indicações: É ótimo para a digestão, combate o escorbuto, as infecções da vesícula biliar, previne a formação de cálculos renais.
Toxicologia:


ROMÃ
Punica granatum
Partes usadas: Casca (especialmente da raiz), as flores e frutos
Família: Pertence à família das Puniáceas.
Características: Fruta com sementinhas brilhantes de um vermelho alegre. Pode atingir até 4 metros de altura.
Princípio ativo: Alcalóides, taninos e glicosídeos, dentre outros.
Propriedades: Vermífuga, adstringentes e diuréticas.
Indicações: As casquinhas de dentro da fruta são usadas num chá contra diarréia. Sua casca servem para acabar com vermes intestinais e também para casos de amigdalite.
Toxicologia: Não exceder as doses indicadas. Não administrar a casca da raiz a pessoas debilitadas ou nervosas.

RUIBARBO Rheum palmatum
Partes usadas: Raiz
Família: Polygonaceae
Características: Erva anual de grandes folhas palmadas, ásperas e lobadas, de pequenas flores esverdeadas ou esbranquiçadas e fruto aquênio. Também conhecida como Ruibarbo-da-china.
Dicas de Cultivo: Necessita de solo fértil, profundo, bem drenado e rico em matéria orgânica. Propaga-se por divisão de touceiras na estação das chuvas.
Principio ativo: Glicosídeos, antraquinonas e ácidos (gálico, crisofânico e tânico)..
Propriedades: É estimulante, hepático.
Indicações: Usado em casos de astenia, afecções hepáticas, biliares, e no para regular as funções intestinais.
Toxicologia: Não pode ser administrato a gestantes.
Retorna

RUBIM Leonotis nepetaefolia
Partes usadas: Folhas
Família:
Características: Herbácea, vivaz e aromática, de caule ereto ramificado, com altura entre 0,60 e 1, 20 metros, folhas alongadas com pecíolos, trilobadas partidas. Suas inflorescências formam espigas longas e flexíveis, rosa, branca ou vermelha.
Principio ativo: Óleo essencial e glicosídeos.
Propriedades: É antidesentérica, expectorante, cicatrizante, emenagogo, eupéptico, diurético e vermífugo.
Indicações: Usada em forma de chá para lavar “feridas brabas”, e emplastos socados das folhas cruas para cicatrização. Auxilia no tratamento de distúrbios cardíacos.
Toxicologia:


SABUGUEIRO
Sambucus nigra
Partes usadas: Frutos, flores e entrecasca do tronco e ramos.
Família: Caprifoliáceas
Características: Arbusto de troncos e ramos lenhosos, que podem atingir de 2 a 4 m de altura com folhas caducas grandes, e de flores esbranquiçadas que crescem em umbelas. Originária da Europa, encontra-se por todo o País.
Principio ativo: Glicosídeos, flavonóides e ácidos orgânicos.
Propriedades: Sudoríficas, diuréticas, depurativas, antiinflamatórias, tonficante e laxante.
Indicações: Utilizado em resfriados e gripes para provocar sudação abundante e uma ação depurativa e descongestionante. É muito utilizada em casos de sarampo, rubéola e escarlatina. Combate também afecções da garganta e conjuntivites.
Toxicologia: Não comer grandes quantidades de bagas (frutos) de sabugueiro, pois podem provocar náuseas e intolerância digestiva.

SALSA Petroselinum sativum
Partes usadas: Toda a planta
Família: Umbelíferas
Características: Herbácea bienal de caule estriado e flores amarelas ou esverdeadas em umbela.
Princípio ativo: Glicosídeos, flavonóides, óleo essencial (rico em apiol e miristicina)
Propriedades Emenagoga, diurética, vasodilatadoras e tonificante.
Indicações: Retenção de líquidos, celulite, insuficiência cardíaca, urina escassa, insuficiência renal, inapetência, anemia, esgotamento físico, dismenorréias. Tanto a raiz coom as folhas e talinhos da salsa podem ser usados em chá diurético, estimulante, emenagogo e fortificante.
Toxicologia: Mulheres grávidas devem evitar ingestão de salsa de forma abundante, pois predispoe ao aborto.


SALSAPARRILHA
Smilax aspera
Partes usadas: Rizoma e raiz
Família: Liliáceas.
Características: Subarbusto espinhoso, que trepa em árvores de até 40 m de altura. Suas folhas são grandes com bordos espinhosos, em forma de coração alongado. Suas flores são brancas e os frutos vermelhos ou enegrecidos.
Princípio ativo: Glicosídeos, resina e 1 óleo essencial.
Propriedades: Diurética, sudoríficas, depurativa, aperitiva e tonificante.
Indicações: Sua raiz é muito indicada para combater o reumatismo e a artrite. É usada tanto para uso interno como para lavar eczemas.
Toxicologia: Produz náuseas em doses elevadas.


SÁLVIA
Salvia officinalis
Partes usadas: Flores e folhas
Família: Labiadas.
Características: Subarbustiva muito ramificada de folhas verde-acinzentadas, lanceioladas e largas; suas flores são (vermelhas tendendo para o violeta) e agrupadas em espigas. É também conhecida como Salva, Salva-das-boticas, Salva-dos-jardins, salva-ordinária.
Princípios ativos: Óleo essencial (borneol, carnosol, etc), flavonóides e principios amargos (picrosalvina).
Propriedades: Cicatrizante, antiinflamatório e anti-séptico.
Indicações: É usada para curar esgotamento nervoso, stresss e depressão. Combate inapetência, astenia, dispepsia, diabetes, diarréia, amenorréia, dismenorréia,.
Toxicologia: Insuficiência renal e tumores mamários.

SANTÔNICO Artemisia Maritima L
Partes Usadas: Sumidades florais
Família: Compostas
Características: Também conhecida como Artemísia Marítima, essa planta pode atingir até 60 cm de altura. Seus pequenos capítulos florais são amarelo-escuro e muito aromáticos.
Princípio ativo: Sais minerais e santonina.
Propriedades: Vermífugo
Indicações: Combate os Ascaris Lumbricoides.
Toxicologia: Seu uso excessivo provoca excitação nervosa.


SENE
Cassia angustifolia
Partes usadas: Folíolos e sementes
Família: Leguminosas
Características: Arbusto de flores amarelas cujo frutoé uma vagem achatada com 6 a 8 sementes. Também conhecida como Sene, Sene-da-índia.
Princípios ativo: Glicosídeos, flavonóides e mucilagens.
Propriedades: É usado como laxante e purgante.
Toxicologia: Náo se deve usar durante a gravidez, a mestruação ou em caso de cistite ou colite. Nas afecções do ânus hemorróidas e fissuras) e do reto, deve-se usar com prudência e em doses reduzidas.


SEGURELHA
Satureja montana L.
Partes usadas: Toda a planta
Família: Labiadas
Características: Planta que atinge até 30 cm, de aroma especial e folhas finas terminadas em ponta. Suas flores são pequenas, de cor branca ou rosada. É também conhecida como alfavaca-do-campo.
Princípio ativo: Dois óleos essenciais (carvacol e cimol), taninos e fenóis.
Propriedades: Estimulante, carminativa, antiespasmódica, vermífuga, diuréticas e peitorais. É afrodisíaca (infusão e essência), depurativa, balsâmica e expectorante.
Indicações: Combate as ventosidades do estômago e intestinos. É recomendada aos que sofrem de gastrite e indicada para casos de fadiga crônica, bronquite aguda, debilidade, hipotensão e astenia. É utilizada em culinária na forma de condimento.
Toxicologia:

SERRALHA Sochus oleraceus
Partes usadas: Toda a planta
Família: Asteraceaes
Características: Herbácea de caule ereto, folhas com bordos serreados, flores amarelas e látex branco.
Princípio ativo: Óleo essencial, esteróides, resinas, glicídeos, vitaminas e taninos, dentre outros.
Propriedades: Antiinflamatório e diurético
Indicações: Combate dores de origem reumática, anemia carencial, afecções hepáticas, astenia e também tem ação cicatrizante.
Toxicologia:


SETE-SANGRIAS
Cuphea Balsamona
Partes usadas: Toda a planta
Família: Litráceas
Características: Erva de caules e ramos pubescentes, folhas opostas e flores róseas.
Princípio ativo: Mucilagens e pigmentos dentre outros.
Propriedades: Depurativa, digestiva, diurética.
Indicações: Combate a arteriosclerose, hipertensão arterial e palpitações. Limpa o estômago e intestinos. Combate também doenças venéreas e afecções da pele.
Toxicologia:

TAIOBA Colocasia antiquorum
Partes usadas: Folhas e raiz
Família: Aráceas
Características: Herbácea de folhas cordiforme e comestíveis.
Principio ativo:
Propriedades: Depurativa, emoliente e cicatrizante.
Indicações: Promove cicatrização de úlceras. Sua raiz é, conforme alguns autores e pesquisadores, serve para atenuar casos de lepra.
Toxicologia:

TAMARINDO Tamarindus indica
Partes usadas: Folhas
Família: Pertence à família das Leguminosas
Características: Árvore de folhas perenes, que atinge até 25 m de altura. Os frutos são vagens pendentes que contém uma polpa marrom que envolve uma semente.
Princípio ativo: Glicídios, ácidos orgânicos e pectina.
Propriedades: Laxante , colerético e colagogo suave. Refrescante e tonificante. Anti-helmíntico e vermífugo.
Indicações: Indicado nas funções biliares e hepáticas e afecções febris. Eacute; útil também em casos de prisão de ventre.
Toxicologia:


TANACETO
Tanacetum vulgare L
Partes usadas: Flores e sementes
Família: Compostas
Características: Planta vivaz de caule ereto, folhas divididas em folíolos dentados e aromáticos. Os capítulos florais com flores amarelas e sem lígulas. Também conhecido como CATINGA DE MULATA.
Princípio ativo: Taninos e flavonóides dentre outros.
Propriedades: Vermífuga e emenagoga.
Indicações: Indicado no combate a lombrigas e oxiúros. Provoca e regulariza a menstruação.
Toxicologia:


TANCHAGEM
Plantago major
Partes usadas: Toda a planta
Família: Plantagináceas
Características: Herbácea de pequeno porte, de folhas de formato variado que surgem emtorno de um único eixo ao nível do solo, num tufo circular. Suas flores podem ser brancas, acastanhadas ou esverdeadas. É bastante encontrada no Brasil.
Principio ativo: Mucilagens, tanino, pectina, e alguns glicosídeos.
Propriedades: Depurativa, hemostática, béquicas, emoliente, expectorante, antitussígena, tônica, cicatrizante, diurética, antiinflamatória e anti-séptica.
Indicações: O suco puro pode ser usados em bochechos para apressar a cicatrização da gengiva em casos de cirurgia e extrações de dentes. O emplasto da planta macerada combate a inflamação. Para uso interno, pode ser usada como diurético, e junto com guaco para combater tosses com catarro.
Toxicologia: É contraindicada para diabéticos.


TÍLIA
Tilia europaea L
Partes usadas: Casca e inflorescências.
Família: Tiliáceas
Características: Árvore grande (até 20 m) de copa ramificada de folhas caducas dentadas e flores esbranquiçadas ou amarelas. De origem européia, nas Américas existem muitas espécies nativas de Tília.
Principio ativo: Taninos, mucilagens, flavonóides, glicosídeo dentre outros.
Propriedades: Sedativa, diurética, sudoríficas, antiinflamatórias, antiespasmódica e vasodilatadora.
Indicações: Usada em casos de nervosismo e ansiedade, pois é excelente sedativo e calmante para os nervos. É antiespasmódica e diaforética por excelência. É indicada nos catarros brônquicos, bronquites, asma, gripe e tosse rebelde das crianças. A flor e a casca tem o efeito vasodilatador e suavemente hipotensor.
Toxicologia:


TOMATE
Licopersicon esculentum
Partes usadas: As folhas e os frutos.
Família: Solanáceas
Características: Arbustiva que atinge 60 cm de altura, de folhas grandes ovais e ásperas e flores amarelo-claro. Seus frutos são vermelhos, possuindo minúsculas e numerosas sementes.
Principio ativo: Alcalóides, saponinas, vitaminas A,B,C,K, fósforo, sódio, cálcio, cloro, enxofre, ferro.
Propriedades: Diurético, antiespasmódico, depurativa, antireumático.
Indicações:Combate dores de origem reumática, afecções do fígado e em uso externo afecções da pele.
Toxicologia:


TOMILHO
Thymus vulgaris
Partes usadas: Folhas e flores.
Família:Labiadas
Características: Originário do Mediterrâneo, é um pequeno arbusto de caule lenhoso e muito ramificado. Suas folhas são pequenas e ovaladas. Suas flores são pequenas e de cor rosada ou branca.
Principio ativo: Flavonóides e ácidos, dentre outros.
Propriedades: Anti-séptico, antiespasmódico, eupéptico, carminativo, vermífugo, digestivo e estimulante.
Indicações: Desperta o apetite, favorecendo a digestão. São estimulantes e também atuam no aparelho respiratório. Combate as tênias e é inseticida contra pulgas e piolhos.
Toxicologia: Quando administrado por via oral (essencia do tomilho) não exceder a dose de 2 ou 3 gotas, 3 vezes ao dia. Em dose excessiva pode provocar irritabilidade nervosa e descoordenação motora.


URUCUM
Bixa orellana L
Partes usadas: Sementes e folhas
Família: Bixáceas
Características: Árvore que atinge até 5m de altura, de flores grandes e vermelhas. Seu fruto é uma cápsula ovóide coberta de espinhos moles e com várias sementes no seu interior. É também conhe cida como açafroa, orucu, urucu, uru-uva, urucuuba.
Princípio ativo: Taninos, flavonóides, ácidos graxos dentre outros.
Propriedades: Adstringentes, cicatrizante, emoliente e antiinflamatória.
Indicações: Para uso interno, combate aftas, faringites e amigdalites (gargarejos). Para uso externo, em forma de lavagens e compressas combate infecções cutâneas, erupções, queimaduras leves e celulite.
Toxicologia:


URTIGA
Urtiga dioica
Partes usadas: Folhas e raízes
Família: Urticáceas
Características: Planta vivaz que atinge de 0,5 a 1,5m cujos caules e folhas são cobertos com pelticantes. Suas flôres são muito pequenas, de cor verde. É também conhecida como Urtigão.
Princípio ativo: Contem vitaminas A, C e K, ácido fórmico, taninos e outros.
Propriedades: Diurética, depurativa, alcalinizante, adstringente, hipoglicemiante, Digestiva, vasoconstritora, emoliente, antianêmica, etc.
Indicações: É indicada para artrite, reumatismo e gota. Combate a anemia, reduz o nível de açúcar no sangue. Para uso externo, é indicada para queda de cabelo.
Toxicologia:


UVA URSINA
Arctostaphylos uva-ursi(L)Spren.
Partes usadas: Folhas
Família: Ericáceas
Características: Subarbusto de caules longos e rasteiros, de folhas perenes, carnosas, pequenas de cor verde escura. Seu fruto é em bagas de vermelho brilhante.
Princípio ativo: Taninos, glicosídeos e flavonóides.
Propriedades: adstringente, diurética, antisséptica e antiinflamatória.
Indicações: Afecções das vias urinárias: cistite, uretrite, prostatite, cálculos renais.
Toxicologia: Seu uso não deve prolongar-se por mais de 10 dias, 15 no máximo.


VALERIANA
Valeriana officinalis
Partes usadas: Raiz e rizoma.
Família: Valerianáceas
Características: Herbácea de caule ereto e estriado. Suas flores são pequenas, rosadas agrupadas em ramalhetes terminais. Cresce nos bosques e prados ´umidos da Europa.
Principio ativo: Um óleo essencial.
Propriedades: Tranquilizante, sedativo, soníferos, analgésico, antiespasmódico e anticonvulsivantes.
Indicações: Usada como calmante e em todos os casos de nervosismo, inclusive em casos de epilepsia e neurastenia.
Toxicologia:


VIDEIRA
Vitis vinifera
Partes usadas: Folhas e frutos
Da família das Vitáceas.
Características: Arbusto trepador com flores de pequeno tamanho agrupadas em cachos compostos. Seus frutos, as uvas, são bagas de coloração diversa (conforme a variedade). Também conhecida como Parreira.
Princípio ativo: Taninos, flavonóides e pigmentos antociânicos.
Propriedades: antiinflamatórias, tonificantes, descongestionantes, reguladoras e estimulantes das glândulas de secreções. Têem ação colagoga, fortalece a circulação e estimulam os centros nervosos.
Indicações: Artritismo, gota, hipertensão, excesso de colesterol, doenças renais, obesidade, hemorróidas, afecções do fígado, anemia, esgotamento físico, astenia, stress, etc. A CURA DE UVASpromove a um efeito depurativo “limpeza do sangue”, promovendo o bom funcionamento dos órgãos e tecidos.
Toxicologia:

VULNERÁRIA Anthyllis vulneraria L
Partes usadas: Toda a planta.
Família: Leguminosas
Características: Também conhecida como trevo-da-areia, possui as folhas e o cálice dos capítulos florais coberta de pelos suaves. Suas flores são amarelas, reunindo-se em capítulos na extreminada de um caule ereto.
Princípio ativo: Taninos, saponinas e flavonóides.
Propriedades: Depurativa e cicatrizante.
Indicações: Seu infuso é usado para lavar feridas, chagas e úlceras de difícil cicatrização, escoriações e zonas contusas.
Toxicologia: .

ZARAGATOA Plantago Psyllium L.
Partes usadas: Sementes
Família: Plantagináceas
Características: Planta Anual com flores pequenas agrupadas em espigas ovóides. Os frutos contém duas sementes lisas de cor castanha. A Zaragatoa também é conhecida pelos nomes psílio, erva-das-pulgas, olhos-de-cão.
Princípio ativo: Mucilagem
Propriedades: Laxante, emoliente e antiinflamatória.
Indicações: É indicada para afecções digestivas, urinárias, cutâneas e para o tratamento da obesidade. A mucilagem dessa planta diminui os níveis de colesterol e de triglicerídeos no sangue.
Toxicologia:
Retorna


ZIMBRO
Juniperus communis
Partes usadas: Frutos
Família: Cupressáceas
Características: Arbusto que atinge de 1 a 3 metros de altura, de folhas perenes, curtas e espinhosas. Seus frutos (bagas) são bolinhas azuis ou pretas, de sabor doce e resinoso. Também conhecido como fruto-de-genebra, junípero.
Princípio ativo: óleo essencial, ácidos orgânicos e glicosídeos (juniprina)
Propriedades: Diurética, depurativa, expectorante, anti-séptica, aperitivas, tonificantes, carminativas, revulvivas.
Indicações: Combate edemas, ácido úrico, infecções bronco-pulmonares, acalma dores reumáticas e da artrose.
Toxicologia: Desaconselha-se seu uso em caso de gravidez e nefrite.
Retorna

 

Sobre Junior

Cristão, amante da Natureza, de bem com a vida, feliz por trabalhar com prazer
Esse post foi publicado em Cuide bem da Saúde. Bookmark o link permanente.

3 respostas para PLANTAS MEDICINAIS – SABEDORIA POPULAR

  1. quero saber se posso fazer o cha de jamelao com as folhas verdes

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s